JP News

Fundado em 1949, on line desde 2000
Edição Impressa22 de Abril 2017 - 67 anos - 5.884Ler Jornal
Jornal de Hoje
8294
Prefeitura Dia D

Justiça decreta prisão de Edson Giroto e de mais oito pessoas

Nove pessoas são suspeitas de participação em organização criminosa

10 NOV 2015 - 11h:55Por Ana Cristina Santos

O juiz Carlos Alberto Garcete decretou, na noite desta segunda-feira, a prisão temporária pelo prazo de cinco dias, do ex-deputado federal e ex-secretário de Obras de Mato Grosso do Sul, Edson Giroto, e de mais oito pessoas investigadas por participação em organização criminosa.

Além de Giroto, tiveram a prisão temporária decretada: Átila Garcia Gomes Tiago de Souza, Elza Cristina Araújo dos Santos, o empresário João Alberto Krampe Amorim dos Santos, Maria Wilma Casanova Rosa, Maxwell Thomé Gomez, Rômulo Tadeu Menossi, Wilson Cabral Tavares e Wilson Roberto Mariano de Oliveira.

Os suspeitos foram levados para o Grupo Armado de Resgate e Repressão a Assaltos e Sequestros (Garras).

As prisões são decorrentes de investigação realizada pelo Ministério Público Estadual, que resultou na Operação Lama Asfáltica, desencadeada neste ano, em parceria com a Polícia Federal e o Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), que fez devassa nos contratos de obras executadas pelo governo do Estado.

As investigações são relativas à licitação que deu origem a um contrato com empresa Proteco, vencedora de licitação para executar obras de recuperação da estrutura da faixa de rolamento da rodovia MS-228, com aplicação de revestimento primário e implantação de dispositivos de drenagens, numa extensão de 42 km da rodovia, no município de Corumbá, segundo dados do Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul.

Em sua decisão, o magistrado entendeu que o material apresentado pelo Ministério Público justifica a medida pleiteada. “Há farta documentação a indicar, prima facie, que, possivelmente, consolidou-se uma organização criminosa com objetivo de auferir vantagens ilícitas em contratos administrativos de obras e serviços com o Estado de Mato Grosso do Sul, consistente em falsificações de medições e outras ações escusas que objetiva receber por serviços não realizados ou realizados de forma insuficiente”, destacou Garcete.

Ainda de acordo com a decisão, a prisão temporária é fundamental, neste momento, para a conclusão das investigações. Essa investigação culminou, inclusive, com a exoneração de Giroto, do cargo de assessor especial do Ministério dos Transportes.

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13

Justiça
Conscientização
Festa no céu
Competição
Ver Todos os Programas da TVC
6956