Campo Grande

Justiça decreta prisão de Edson Giroto e de mais oito pessoas

Nove pessoas são suspeitas de participação em organização criminosa

Postado em 10 de NOVEMBRO de 2015 às 10:55
Divulgação/Secom
Edson Girot, em imagem da época em que foi secretário estadual de Obras

Por Ana Cristina Santos

O juiz Carlos Alberto Garcete decretou, na noite desta segunda-feira, a prisão temporária pelo prazo de cinco dias, do ex-deputado federal e ex-secretário de Obras de Mato Grosso do Sul, Edson Giroto, e de mais oito pessoas investigadas por participação em organização criminosa.

Além de Giroto, tiveram a prisão temporária decretada: Átila Garcia Gomes Tiago de Souza, Elza Cristina Araújo dos Santos, o empresário João Alberto Krampe Amorim dos Santos, Maria Wilma Casanova Rosa, Maxwell Thomé Gomez, Rômulo Tadeu Menossi, Wilson Cabral Tavares e Wilson Roberto Mariano de Oliveira.

Os suspeitos foram levados para o Grupo Armado de Resgate e Repressão a Assaltos e Sequestros (Garras).

As prisões são decorrentes de investigação realizada pelo Ministério Público Estadual, que resultou na Operação Lama Asfáltica, desencadeada neste ano, em parceria com a Polícia Federal e o Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), que fez devassa nos contratos de obras executadas pelo governo do Estado.

As investigações são relativas à licitação que deu origem a um contrato com empresa Proteco, vencedora de licitação para executar obras de recuperação da estrutura da faixa de rolamento da rodovia MS-228, com aplicação de revestimento primário e implantação de dispositivos de drenagens, numa extensão de 42 km da rodovia, no município de Corumbá, segundo dados do Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul.

Em sua decisão, o magistrado entendeu que o material apresentado pelo Ministério Público justifica a medida pleiteada. “Há farta documentação a indicar, prima facie, que, possivelmente, consolidou-se uma organização criminosa com objetivo de auferir vantagens ilícitas em contratos administrativos de obras e serviços com o Estado de Mato Grosso do Sul, consistente em falsificações de medições e outras ações escusas que objetiva receber por serviços não realizados ou realizados de forma insuficiente”, destacou Garcete.

Ainda de acordo com a decisão, a prisão temporária é fundamental, neste momento, para a conclusão das investigações. Essa investigação culminou, inclusive, com a exoneração de Giroto, do cargo de assessor especial do Ministério dos Transportes.

Últimas Noticias
Agora na Capa
Carga horária

Agentes de endemias de Três Lagoas querem redução na jornada de trabalho

Plantão

19:25

Encontro

Presidente do PROS participa de debate sobre reforma da Previdência

18:47

Carga horária

Agentes de endemias de Três Lagoas querem redução na jornada de trabalho

18:09

Investimento

Senadores pedem liberação de licença para instalação de fábrica

17:43

Economia

Sebrae vai ajudar deputados na discussão da reforma tributária

17:32

Sebraejor

Sebrae promove integração com jornalistas em Três Lagoas

17:06

Feriadão

Vai pegar estrada no carnaval? Confira dicas de segurança

15:32

Imunização

Vacina contra a febre amarela volta a ser oferecida para toda população

+ notícias
Campo Grande
Eleições

Simone é segunda opção do PMDB para disputar o governo do Estado

Alerta

Campo Grande registra primeiro caso de chikungunya de 2017. VÍDEO

Reações

Secretária que pediu 'fora Temer' em rede social deixa ministério

Oportunidades

Empresários promovem a 4ª Feira de Calçados, Couros e Acessórios

Lazer

Memorial da Indústria de MS abre as portas para visitação gratuita

Reconhecimento

Fiems entrega prêmios a jornalistas

Evento

Rota do Desenvolvimento em Campo Grande terá mais de 160 atividades gratuitas

ver +