Rio 2016

Silvânia e Lorena ganham medalhas para o Brasil em salto T11

Categoria inclui apenas atletas com deficiência visual classificada como absoluta

Postado em 16 de SETEMBRO de 2016 às 13:43
Divulgação/CPB
Silvânia e Lorena Spoladore, com os treinadores, na comemoração das conquistas

Por Valdecir Cremon

O Brasil fez dupla hoje (16) no pódio do salto em distância categoria T11 feminino, para deficientes visuais. Silvania de Oliveira saltou 4.98m e conseguiu a ouro e Lorena Spoladore ficou com o bronze, fazendo a marca de 4.71m. A prata foi para Fatimata Diasso, da Costa do Marfim, que saltou 4.79m. Thalita da Silva também participou da prova, terminando em quinto lugar.

Veja como funciona a classificação de competidores de provas de atletismo em paralimpíada. 

ATLETISMO

Classificação funcional dos esportes paralímpicos-atletismo

Provas de campo – arremesso, lançamentos e saltos

A letra F corresponde a Field (campo)

  • F11 a F13 - deficientes visuais
  • F20 - deficientes mentais
  • F31 a F38 - paralisados cerebrais (31 a 34 -cadeirantes e 35 a 38 – ambulantes)
  • F40 – anões
  • F41 a F46 - amputados e Les autres
  • F51 a F58 - competem em cadeiras (sequelas de Polimielite, lesões medulares e amputações)

FONTE: COMITÊ PARALÍMPICO BRASILEIRO


RECORDE

Atual recordista mundial, com 5.46m, Silvania destacou que foi para o "tudo ou nada" no último salto, já que estava em segundo. "Eu estava muito tranquila na primeira semana de treino e essa tranquilidade me preocupava, porque nunca entrei sem o friozinho na barriga. Faltando três dias, comecei a ficar nervosa, com tremedeira. Entrei na prova nervosa, tanto que não consegui minhas melhores marcas. Mas no último salto, quando sai da areia já foi pulando de alegria".

Emocionada, a atleta destacou as dificuldades que passou para chegar ao atletismo e dedicou a vitória à filha Letícia Gabriela, de 10 anos. "Comecei no atletismo por causa dela, na minha família não tinha atletas, meu irmão Ricardo [de Oliveira, ouro no salto em distância T11] corria mas não era profissional. Um amigo me chamou para correr 10 quilômetros e eu fui por causa da premiação de R$300, que eu precisava para pagar o leite dela. Ela já é medalhista escolar no salto em distância, a família Oliveira vem por aí!"

Lorena disse que competiu com dor, após torcer o tornozelo esquerdo na segunda-feira, e que o bronze tem "gostinho de ouro". "Pra mim o mais difícil foi superar a torção do tornozelo, entrei na prova do início ao fim com dor. Graças a Deus consegui me superar, não entrei pensando em competir contra as outras, mas para superar a mim mesma. Não quero passar por essa experiência de novo".

Últimas Noticias
Agora na Capa
Carga horária

Agentes de endemias de Três Lagoas querem redução na jornada de trabalho

Plantão

19:25

Encontro

Presidente do PROS participa de debate sobre reforma da Previdência

18:47

Carga horária

Agentes de endemias de Três Lagoas querem redução na jornada de trabalho

18:09

Investimento

Senadores pedem liberação de licença para instalação de fábrica

17:43

Economia

Sebrae vai ajudar deputados na discussão da reforma tributária

17:32

Sebraejor

Sebrae promove integração com jornalistas em Três Lagoas

17:06

Feriadão

Vai pegar estrada no carnaval? Confira dicas de segurança

15:32

Imunização

Vacina contra a febre amarela volta a ser oferecida para toda população

+ notícias
Rio 2016
De volta!

Após conquista de medalhas, Ricardo e Silvânia retornam a Três Lagoas

Vencedores!

Paralimpíada: confira o ranking de medalhistas brasileiros por Estado

Acabou!

Brasil aumenta número de medalhas, mas fica em oitavo lugar na Paralimpíadas

Paralimpíadas

Silvânia conquista ouro em final emocionante

Segurança ao torcedor

Defensoria Pública fez 159 atendimentos voluntários na Olimpíada

Dose dupla

Silvânia e Lorena ganham medalhas para o Brasil em salto T11

É ouro!!!

Silvânia conquista medalha de ouro em salto em distância

ver +