Polícia

Cinco são presos suspeitos de matar trabalhador rural em Três Lagoas

Crime ocorreu na madrugada de 31 de dezembro de 2016, próximo à avenida Clodoaldo Garcia

Postado em 05 de JANEIRO de 2017 às 15:48
Kelly Martins/JP
Três presos confessaram o envolvimento no assassinato

Por Kelly Martins

Cinco pessoas foram presas preventivamente pela Polícia Civil suspeitas de envolvimento no latrocínio (roubo seguido de morte) contra o trabalhador rural Rosalvo de Oliveira Nogueira, de 56 anos, em Três Lagoas. O crime ocorreu na madrugada de 31 de dezembro de 2016, próximo à Avenida Clodoaldo Garcia, no bairro Vila Haro. A vítima foi esfaqueada e morta a pedradas, segundo o Setor de Investigações Gerais (SIG).

O inquérito sobre o caso foi concluído pelo delegado Airton Freitas e deverá ser encaminhado para a Justiça. O assassinato ganhou repercussão por ter sido praticado com requintes de crueldade, já que a vítima foi espancada em três pontos diferentes antes de morrer. Três presos, sendo duas mulheres – de 31 e 32 anos, e um homem – de 39 anos -, confessaram a participação direta no crime. Os outros dois suspeitos foram presos porque estavam no local do assassinato quando a polícia chegou.

A polícia informou à reportagem que os envolvidos foram identificados por meio do circuito interno de segurança de um motel, na avenida Clodoaldo Garcia. As imagens revelam o momento em que o trabalhador é espancado e um dos envolvidos atinge a cabeça dele com um pedaço de concreto.

Vítima foi atingida com pedras, pedaço de concreto, telha e levou uma facada (Foto/Reprodução TVC)

Entenda o caso

De acordo com as investigações, o trabalhador foi até um bar, conhecido na região por ser um ponto de usuários de drogas, na avenida Clodoaldo Garcia. Lá, ele teria consumido cerveja e pagou bebida alcoólica para os clientes, entre eles, duas mulheres e um homem. Percebendo a atitude da vítima, o trio planejou praticar o assalto. “Como ele pagou cerveja para todo mundo, os três acharam que a vítima estava cheia de dinheiro e decidiram então praticar o assalto”, contou um dos investigadores do SIG.

Para isso, uma das mulheres atraiu Rosalvo até uma rua que fica atrás do bar. Ao chegar ao local, o trabalhador acabou abordado pelo suspeito que estava com uma faca e ainda pela outra mulher. Rosalvo resistiu ao assalto e foi então que começou a ser agredido pelos três ladrões. Na ocasião, a vítima levou uma facada nas costas, uma pedrada na cabeça e desmaiou. Os suspeitos acharam que o trabalhador estava morto e fugiram em seguida levando o celular, boné e uma nota de R$ 50 que estava na carteira dele.

“Eles deixaram o corpo de Rosalvo na rua e foram para a outra quadra em um ponto de drogas. Porém, minutos depois, o trabalhador apareceu na rua, muito macucado, tentando caminhar, e os suspeitos ficaram assustados. Eles não esperavam que a vítima ainda estivesse viva e, por isso, decidiram executá-la com receio de serem denunciados”, revelou a Polícia Civil.

Pela segunda vez, o trio agrediu o trabalhador rural com pedras e concreto, no meio da avenida Clodoaldo Garcia. Como havia muitos carros trafegando e com medo de serem identificados, os suspeitos conseguiram arrastar a vítima até uma rua próxima. E lá, Rosalvo foi morto, por volta das 3h da madrugada.

A Polícia Militar foi acionada. Dois dias depois, em uma operação conjunta com a Polícia Civil, todos os envolvidos foram localizados. Eles já respondem criminalmente por furto, roubo e tráfico de drogas.  

Galeria de Imagens
Últimas Noticias