Política

Decisão judicial bloqueia R$ 12 milhões que beneficiaria Paranaíba

A Prefeitura poderia se habilitar a usar ate 70% do valor penhorado, o que corresponde aos R$ 9 milhões citados pelo ex-prefeito Tita

Postado em 11 de JANEIRO de 2017 às 16:12
Divulgação
Os advogados explicaram ao prefeito Ronaldo que para conseguir o desbloqueio, a empresa São Simão deixou como caução uma carta de crédito

Por Talita Matsushita

Quando o ex-prefeito Diogo Robalinho de Queiroz (Tita-PPS) despediu-se da Administração Municipal, saiu dizendo que deixava para Ronaldo José "Miziara" Lima Severino um crédito de R$ 9 milhões, que entrariam no caixa da Prefeitura no início de janeiro, relativo a débito de ISS (Imposto Sobre Serviço) da empresa São Simão/Itatim quando da construção de linha de transmissão de energia em área do município.

Nesta semana, o prefeito recebeu a visita de advogados responsáveis pela recuperação de valores devidos pela empresa e eles não trouxeram uma boa noticia.

O valor de aproximadamente R$ 12 milhões, que estavam penhorados através de decisão judicial de primeira instância, foi desbloqueado em decisão de segunda instância no Tribunal de Justiça.

Além de desbloquear os valores depositados em conta da Justiça, a São Simão teve de volta os R$ 12 milhões, deixando como caução, uma carta de crédito de R$ 18 milhões.

Ou seja, do valor em espécie que estava bloqueado, a Prefeitura poderia se habilitar a usar ate 70% do valor penhorado, o que corresponde aos R$ 9 milhões citados pelo ex-prefeito Tita. Esse dinheiro não existe mais, por enquanto.

Isso porque os advogados que defendem os interesses do município, nessa questão, já entraram com recurso que para reverter a decisão. O recurso será julgado assim que o Judiciário voltar das férias forenses.

O prefeito Ronaldo Miziara recebeu em seu gabinete, os advogados da empresa Prática Assessoria, responsável pela recuperação de valores devidos pela empresa São Simão, construtora da linha de transmissão de energia que atravessa o município de Paranaíba.

Rodolfo Borges, da Prática Assessoria, explicou ao prefeito Miziara que para conseguir o desbloqueio, a empresa São Simão deixou como caução, uma carta de crédito, no valor de R$ 18 milhões, que no entanto não pode ser utilizado pelo município.

Últimas Noticias
Agora na Capa
Três Lagoas

Comerciante é preso após furtar ambulância e alega: 'foi para testar segurança'

Plantão

13:47

Estacionamento pago

‘Sem resultado financeiro, zona azul é inviável’ diz empresário

13:44

Três Lagoas

Comerciante é preso após furtar ambulância e alega: 'foi para testar segurança'

13:25

Corrupção

Moro condena Cunha a 15 anos de prisão por corrupção, lavagem e evasão de divisa

12:00

Aumento

Índice que reajusta aluguel sobe 4,86% em 12 meses

11:39

Fuga em massa

Seis presos são recapturados após fuga em delegacia

10:52

Sub-19

Ainda em busca de dinheiro, Misto manifesta interesse em disputar o estadual sub-19

10:30

Opinião

Charge do dia - Reforma

+ notícias
Política
Estacionamento pago

‘Sem resultado financeiro, zona azul é inviável’ diz empresário

Corrupção

Moro condena Cunha a 15 anos de prisão por corrupção, lavagem e evasão de divisa

Agenda

Governador chega a Três Lagoas para participar de feira e anunciar investimentos

Política

Temer: se reforma previdenciária não for feita, país estará paralisado

Câmara nos bairros

Presidente da Câmara lança projeto ‘Pensando Três Lagoas’

Oportunidade

Câmara abre espaço para representantes de entidades

Compromisso

Definida agenda do governador em Três Lagoas

ver +