Rádios On-line

Artigo: Mais de 250 obras novas, reformadas ou ampliadas no Bolsão

No Bolsão, o atual Governo Estadual tem feito investimentos maciços e contínuos, por saber que é a região que mais cresce no Mato Grosso do Sul.

23 MAI 2013 - 07h:29Por Redação

A Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (AGESUL) é a soma dos antigos DERSUL (Departamento de Estradas de Rodagens do MS) e DOP (Departamento de Obras Públicas do MS), sendo uma Autarquia subordinada a Secretaria Estadual de Obras Públicas e Transportes. Maria Wilma Casanova Rosa, é a Diretora Presidente da AGESUL que possuem 17 Residências Regionais espalhadas pelo Estado para acompanhamento das obras estaduais que não forem da Habitação ou da Sanesul.
No Bolsão, o atual Governo Estadual tem feito investimentos maciços e contínuos, por saber que é a região que mais cresce no Mato Grosso do Sul. Em nossa área de atuação, são mais de du-zentas e cinquenta obras novas, reformadas ou ampliadas. Só para destacarmos algumas dessas obras, e lembramos da diversificação dos investimentos, tivemos ampliações ou reformas em praticamente todas as escolas estaduais do Bolsão, com construções de salas de internet e de qua-dras cobertas onde não tinham. Construção do Presídio Semi Aberto, reforma do Presídio Feminino, reforma do Quartel do Corpo de Bombeiros, construção do Posto de Saúde do Paranapungá e ilumi-nação do Estádio Madrugadão em Três Lagoas. Construção do canal de captação de Água Pluvial na saída de Bataguassú, na Rodovia MS 395. Canalização do Córrego Aviação, no centro de Brasilândia. Construção do prédio do Detran em Selvíria. Construção de ponte de concreto com extensão de 106,00 metros sobre o Rio Pardo, na divisa dos municípios de Santa Rita do Pardo e Ribas do Rio Pardo. Recapeamento asfáltico no centro de todas as cidades de nossa Região. Além de outras obras maiores executadas como a pavimentação asfáltica da Rodovia MS 112, entre Três Lagoas e Inocên-cia, com custo de R$ 141 milhões, a restauração asfáltica da Rodovia MS 377, entre Água Clara e Inocência, com custo de R$ 47 milhões, e o Contorno Ferroviário, obra de mais de R$ 35 milhões e que falta somente o DNIT (Governo Federal) trazerem os trilhos para o Estado terminar o Contorno Ferroviário. E a partir daí iniciar um dos maiores sonhos da população de Três Lagoas que é a reti-rada dos trilhos do centro da cidade e a consequente urbanização dessa área nobre e que o Governo Estadual já se comprometeu em executar.
Destacamos em andamento alguns dos investimentos estaduais, em parceria com a União e o Município, como a construção do prédio da UNEI, com custo de mais de R$ 7 milhões. Construção de um Colégio Estadual no Santa Terezinha, com investimentos de R$ 4 milhões, reforma do Aero-porto, com gasto de R$ 3 milhões. Sendo que o Governo Estadual iniciará nos próximos meses à construção do Hospital Municipal (Universitário), com previsão de investimento de R$ 20 milhões, segundo o engenheiro fiscal da Agesul Nelson Garcia. Hospital este que quando estiver pronto irá melhorar a situação da saúde não só de Três Lagoas, mas da região, e que ajudará a viabilizar a implantação do curso de Medicina da UFMS, com vestibular previsto para o final de 2013. Curso esse que transformará a cidade de Três Lagoas numa cidade prestadora de serviços, ajudando a diversificar a sua base produtiva.
Neste primeiro semestre de 2013,o Governo Estadual está lançando o maior programa de investimento da história do Estado, e como já foi divulgado pela imprensa e pela classe política, o Governador André Puccinelli e a Vice Simone Tebet privilegiaram a região, estando em fase final de licitação um pacote de obras estratégicas para o Bolsão, com empréstimo do BNDES e contra partida do Estado, para suportar o desenvolvimento que se vislumbra para os próximos anos, com em-preendimentos do porte da indústria Eldorado Brasil Celulose Ltda, Fibria, IP, fábrica de fertilização da Petrobrás e Siderúrgica Sitrel e que acabará atraindo outros empreendimentos para o Bolsão.
Esse pacote de obras de infraestrutura, que tem deixado orgulhosos os funcionários das Re-sidências Regionais da Agesul que estão localizadas no Bolsão, são:
a) Asfaltamento de 86,70 km da Rodovia MS 112, entre Inocência e Cassilândia.
b) Asfaltamento de 151,00 km da Rodovia MS 320 (Alto Sucuriú), entre a BR 060 (Chapadão do Sul/Paraíso das Águas) e a Rodovia MS 377 (Posto Vera Cruz).
c) Asfaltamento de 14,50 km da Rodovia MS 324, saindo de Água Clara em direção a Camas.
d) Asfaltamento de 220,00 km da Rodovia MS 040, de Santa Rita do Pardo à Campo Grande.
e) Restauração asfáltica de 60,00 km da Rodovia MS 276, já iniciada, entre Batayporã à Anauri-lândia.
f) Restauração asfáltica de 30,00 km da Rodovia MS 480, entre o entroncamento da Rodovia MS 276 à Porto Primavera.
g) Restauração asfáltica de 65,00 km da Rodovia MS 395 entre Anaurilândia e Bataguassú.
h) Restauração asfáltica de 92,00 km, entre os municípios de Paranaíba e Inocência.
Esse grandioso pacote de obras para a região, com investimentos superiores à R$ 800 mi-lhões, é de extrema importância, pois libertará do isolamento os nossos municípios e teremos a tão sonhada integração definitiva do Bolsão. Foi viabilizado devido a visão estratégica do Governador André Puccinelli e do Secretário Estadual de Obras Publicas e Transportes, Dr. Edson Giroto e a força política da Vice Governadora Dra. Simone Tebet, Senador Moka, Deputado Estadual Eduardo Rocha, Deputado Federal Akira Otsubo, Prefeita Márcia Moura, Prefeitos Municipais, Câmaras de Ve-readores, classe política da região, sociedade civil organizada e a força da imprensa regional.
Por fim podemos concluir que a união das lideranças da região deve continuar cada vez mais forte para continuarmos conquistando melhorias nas rodovias federais que cruzam a região, consolidando a integração com os modais hidroviário, ferroviário e aéreo, e viabilizando asfalto nas rodovias estaduais de terra abaixo:
01- Rodovia MS 040, entre Brasilândia e Santa Rita do Pardo, com 90,00 km de extensão;
02- Rodovia MS 320 (Alto Sucuriu), entre Três Lagoas e o Posto Vera Cruz (rodovia MS 377), com 97 km de extensão;
03- Rodovia MS 444, entre Selvíria e a Rodovia MS 112, com 52 km de extensão;
04- Acesso asfaltado ao Assentamento Mutum, com extensão de 53,00 km.
Mesmo sabendo que a classe política começa a trabalhar firme e silenciosamente para vi-abilizar recursos para este novo pacote de obras, é importante as lideranças da região continuarem reivindicando, pois é uma injeção de ânimo para pessoas do porte de André, Giroto e Simone.
Com infraestrutura solidificada, consciência ambiental e social, o Bolsão vai continuar a atrair grandes investimentos, verticalizar sua economia, interiorizar o progresso, e consequente-mente tem um crescimento regional equilibrado com qualidade de vida e cidadania plena.

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13