Rádios On-line
INOVAÇÃO

Autodesk banca projeto de universidade

Objetivo do projeto é que a adaptação do paciente à prótese, que é uma questão crítica da ortopedia, seja mais fácil

18 SET 2016 - 17h:07Por Valdecir Cremon

A Autodesk selecionou o primeiro projeto no Brasil para receber apoio tecnológico e financeiro de sua fundação. Desenvolvido por pesquisadores do Laboratório de Engenharia Biomédica e o Grupo de Realidade Virtual da Universidade Federal de Uberlândia, o projeto selecionado visa o barateamento a fabricação de próteses para membros superiores, a fim de atender a população de baixa renda do país.


Para que isso seja possível, o grupo está lançando mão da combinação de tecnologias como modelagem 3D (por meio do software Autodesk Fusion 360), realidade virtual e impressão 3D.


Mais que baratear o custo do equipamento, o objetivo do projeto é que a adaptação do paciente à prótese, que é uma questão crítica da ortopedia, seja mais fácil. Esta é uma iniciativa multidisciplinar, envolvendo um número de profissionais de diferentes áreas, como engenheiros, ortopedistas, fisioterapeutas, terapeutas, psicólogos e agentes sociais.


Hoje, no Brasil há cerca de meio milhão de pessoas que usam próteses. - número que tem aumentado significativamente ano após ano. Pesquisa da Agência de Investigação de Saúde e Qualidade, em 2009, mostra que os custos hospitalares associados à amputação totalizaram mais de US $ 8,3 bilhões. Uma vez que a maioria das amputações vêm de doenças (como a diabetes) e acidentes, este fato torna-se um problema mundial. .A maioria das pessoas não pode pagar um dispositivo protético, geralmente considerados caros demais. E quando se pode, os pacientes levam de 3 a 12 meses para se adaptar. (Valdecir Cremon, com informações da Fundação Autodesk)

 

Deixe seu Comentário