Rádios On-line
8992

Cerca de 4 mil trabalhadores temporários serão contratados para obras da Petrobras

Todos os profissionais serão selecionados e contratados pelas empreiteiras que prestam serviços à Petrobras

2 FEV 2009 - 14h:21Por Redação

A manutenção de uma das unidades produtivas da Refinaria Presidente Bernardes, em Cubatão (SP), vai exigir a contratação de 4 mil trabalhadores temporários. São soldadores, caldeireiros e outros profissionais especializados que, uma vez admitidos, terão garantidos trabalho e renda por pelo menos dois meses.

“Não é o ideal, mas é um alívio grande você ter um emprego por dois meses”, avalia o gerente-geral da refinaria da Petrobras, William França da Silva. Segundo ele, a partir de julho, entre 2 mil e 3 mil pessoas serão selecionadas para trabalhar na manutenção da Unidade de Craqueamento Catalítico, que ocorrerá em agosto deste ano. Outras mil deverão ser contratadas ao longo de todo o ano para trabalhar até o final de 2010 em outras unidades da mesma refinaria.

Todos os profissionais serão selecionados e contratados pelas empreiteiras que prestam serviços à Petrobras. Silva não fala em salários ou nas exigências feitas a quem quiser se candidatar a uma das vagas, já que estes são estabelecidos pelas empreiteiras. Mesmo assim, ele dá a pista para os interessados.

“Normalmente, a contratação é feita por meio do PAT [Posto de Atendimento ao Trabalhador] local, que é quem faz o cadastramento dos funcionários e onde as empresas vão procurar [profissionais especializados]. Às vezes são contratadas pessoas de outras regiões, mas a gente sempre recomenda que as empresas contratem pessoas daqui mesmo, da Baixada Santista”, afirma Silva.

De acordo com o gerente-geral, não há, no momento, qualquer definição quanto à contratação, pela própria Petrobras, de novos funcionários permanentes. “Não há nada previsto. A empresa está reavaliando suas contratações e tudo vai depender da orientação dos escalões superiores [da estatal]. Nós dependemos dessa reavaliação”. Hoje, a refinaria cubatense tem 1.200 funcionários próprios.

No último fim de semana, o próprio presidente da estatal, José Sergio Gabrielli, disse à imprensa que, em função da queda dos preços do petróleo, a Petrobras irá reexaminar seu plano de contratações. O reexame atinge também o plano de investimentos.


Somente em Cubatão, a Petrobras previa alocar cerca de US$ 2 bilhões (R$ 4,7 bi) em obras como a construção de uma nova central termoelétrica. “Enquanto gerente-geral da unidade, espero que seja mantido, mas tudo depende da avaliação superior. Em princípio, vamos manter o plano”.

 

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13