Rádios On-line
7919

Demissões superam contratações de empregados

A queda do número de postos de emprego em novembro caiu em todas as cidades do País

30 DEZ 2008 - 06h:30Por Redação

Em novembro passado, o número de demissões suplantou em 937 vagas o volume de contratações em Três Lagoas, segundo informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTe). Conforme os dados, no mês foram admitidos 1.374 trabalhadores e demitidos 2.311, ocasionando um saldo negativo no balanço.

No ano, ainda conforme o levantamento do Caged, foram admitidos 20.436 trabalhadores e demitidos 19.824 – saldo positivo de 607 vagas.

Os setores que mais demitiram foram a construção civil, o de serviços e a indústria da transformação; O primeiro admitiu 262 operários e demitiu 803; o segundo, 387 contra 578 demissões; no terceiro foram 360 admissões e 561 dispensas. Depois vêm os setores do comércio (282 contratações e 199 demissões) e agropecuário (83 admissões e 168 dispensas).

NO PAÍS

Caiu o número de postos de emprego em novembro, em relação ao mês anterior, com a redução de 40.821 vagas, de acordo com os dados do Caged.

Segundo o ministro Carlos Luppi, do Trabalho e Emprego, o número negativo já é reflexo da crise. O setor mais atingido foi a indústria de transformação, onde a queda foi mais elevada, com a perda de 80.798 empregos. O comércio foi o setor que se saiu melhor em novembro, criando 77.886 postos de trabalho.

Neste ano, até o fim de novembro, foram criados 2.107.150 empregos. Como o mês de dezembro costuma ser de redução, em média de 300 mil vagas, o ministro do Trabalho e Emprego disse esperar que o ano feche com um acréscimo entre 1,85 milhão e 1,95 milhão de postos de trabalho, número que ultrapassaria o recorde de 2007, quando foram criados 1,617 milhão de empregos.

NO ESTADO

Somente em novembro, 19.679 pessoas foram desligadas (entre demissionários e demitidos) dos empregos com carteira assinada em Mato Grosso do Sul; enquanto apenas 17.990 foram contratadas. Isto significa que 1.689 empregos foram extintos no mês.

Com exceção do comércio, em todas as atividades econômicas houve redução de empregos. A explicação para a retração está, ao menos em parte, na crise mundial que teve início no setor imobiliário dos EUA. Já os bons números do comércio se devem à proximidade do Natal, período de altas vendas.

Na indústria de transformação, foram desligados 3.623 trabalhadores - uma redução de 529 vagas no mercado de trabalho (admissões menos demissões). Na construção civil foram desligados 2.857 funcionários (redução de 596 vagas).

Foram 4.967 desligamentos no setor de serviços, causando uma retração de 107 vagas no mercado de trabalho. A agropecuária foi responsável pelo desligamento de 4.116 funcionários, uma queda de 876 trabalhos formais.

A retração no mercado de trabalho foi menos significativas em setores como Serviços (107), Serviço Industrial de Utilidade Pública (28 vagas) e administração pública (7).

A exceção neste momento de dificuldade ficou por conta do comércio, onde foram admitidos 4.465 funcionários com carteira assinada, gerando 511 vagas no mercado formal de trabalho sul-mato-grossense.

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13

Ver Todos os Programas da TVC
JORNAL DO POVO
7300