Rádios On-line

Mulheres magras têm 39% mais risco de desenvolver endometriose

Estudo sugere que fatores relacionados à infertilidade, mais comum entre obesos, podem estar ligados ao risco reduzido da condição

15 MAI 2013 - 12h:25Por Redação

Mulheres magras têm um risco maior de desenvolver endometriose do que as mulheres com obesidade mórbida. É o que revela estudo publicado no Journal of Human Reproduction.

O estudo mostrou que o risco de endometriose foi 39% menor em mulheres com índice de massa corporal (IMC) superior a 40 kg/m2 em comparação com as mulheres com IMC normal entre 18,5 e 22,4 kg/m2.

Segundo os pesquisadores, a associação foi mais forte no grupo de mulheres que eram inférteis, aquelas que estavam tentando engravidar há mais de um ano. Houve uma taxa significativamente menor de endometriose (62%) entre as obesas em comparação com aquelas com IMC normal.

Os autores do estudo reforçam que, apesar de suas descobertas estabelecerem evidência firme de uma ligação entre a endometriose e o IMC, ele não classifica o baixo IMC como causa da endometriose. "É importante notar que, apesar da força da evidência da associação entre o peso corporal e a endometriose, inferências sobre a causalidade ou o processo fisiopatológico subjacente a estas relações não podem ser feitas", afirmam os autores.

Os mecanismos que podem ser responsáveis pela ligação entre o IMC e o risco de endometriose não são claros, mas os pesquisadores apontam para a possibilidade de que o IMC em uma idade mais jovem pode ter uma influência sobre a saúde mais tarde na vida, e também que a síndrome do ovário policístico (SOP) é mais comum entre as mulheres obesas e o efeito que tem sobre a menstruação e hormônios pode desempenhar um papel na redução ou desaceleração do crescimento das lesões endometriais.

"Mais pesquisas são necessárias para entender os mecanismos biológicos subjacentes às associações que vimos em nosso estudo. Manter um peso corporal saudável durante toda a infância, adolescência e idade adulta está associada a uma infinidade de benefícios para a saúde conhecidos. O estudo não sugere que as mulheres com obesidade mórbida são, de alguma forma, mais saudáveis do que as mulheres magras. É mais provável que os fatores relacionados com a infertilidade, que é mais comum entre os muito obesos, estejam ligados ao risco reduzido de endometriose", afirma a primeira autora do estudo Divya Shah, da University of Iowa Hospitals and Clinics, nos EUA.

A equipe acredita que a descoberta de que as mulheres magras têm um maior risco é uma informação útil para os médicos ao fazer um diagnóstico. Além de significar também que pesquisas futuras podem se concentrar nestas mulheres para descobrir as causas, a fim de desenvolver tratamentos que podem ajudar a prevenir o desenvolvimento da doença.

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13