Rádios On-line
11559

OAB/MS só aprovou 16% - pior exame da história

O resultado com a lista de aprovados divulgada pela UnB foi divulgado no site da OAB-MS (www.oabms.org.br) desde a tarde desta quinta-feira (29)

30 JAN 2009 - 09h:10Por Redação

Apenas 234 de 1.389 candidatos que fizeram a prova (objetiva) da primeira fase do terceiro Exame de Ordem de 2008 promovido em Mato Grosso do Sul pela Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MS) foram aprovados e estão aptos para as provas da segunda fase (prático-profissional). O índice de 16,85% de aprovação foi o pior da história do Exame no estado desde o início da unificação com provas feitas pela Universidade de Brasília (UnB) há cerca de três anos, que hoje abrange a maioria dos estados brasileiros, com exceção apenas de São Paulo e Minas Gerais. O resultado com a lista de aprovados divulgada pela UnB foi divulgado no site da OAB-MS (www.oabms.org.br) desde a tarde desta quinta-feira (29). 

Para falar sobre o baixo índice de aprovação que classificou como “catastrófico”, o presidente da OAB-MS, Fábio Trad, recebeu a imprensa em entrevista coletiva, hoje, na sede da Seccional. Participaram da entrevista, o vice-presidente nacional da OAB, Vladimir Rossi Lourenço; o presidente da Comissão de Estágio e Exame de Ordem da OAB-MS, Alexandre Bastos; o presidente da Comissão do Novo Advogado, Leandro de Moura Moura; e o diretor-geral da Escola Superior de Advocacia (ESA) da OAB-MS, Sérgio Muritiba.

Todos os representantes da OAB foram unânimes em afirmar que uma série de fatores influenciam na má formação do ensino jurídico e, consequentemente, no baixo índice de aprovação do exame através do qual o bacharel em direito obtém a chancela da OAB para exercer a profissão de advogado. O vice-presidente nacional da Ordem, Vladimir Rossi Lourenço, resumiu que o principal problema é a mercantilização do ensino, lembrando que a OAB tem se empenhado junto ao Ministério da Educação e Cultura (MEC) pelo enrijecimento do critério de exigência de qualidade para abertura e funcionamento de faculdades de direito no Brasil.

Prova disso é que desde que o exame começou a ser feito de forma unificada pelos estados brasileiros, o maior número de aprovados é oriundo de universidades públicas, nas quais o critério de ingresso, através do vestibular, é mais rigoroso, permitindo apenas o acesso ao ensino superior a estudantes melhor preparados no ensino básico e fundamental. Estados da região Nordeste, por exemplo, em que o número de universidades particulares é menor e equivale ao de universidades públicas, lideram o "ranking" de índice de aprovação dentre os estados que fazem a prova unificada pela UnB.

O presidente da OAB-MS, Fábio Trad, lembrou que embora a OAB não possa interferir na grade de ensino das faculdades, pode colaborar e, neste sentido, vai promover palestras nos cursos de direito de Mato Grosso do Sul a partir de fevereiro, com o início deste ano letivo, visando conscientizar os acadêmicos sobre a importância de dedicação aos estudos e apoiando as faculdades de forma a melhorar a qualidade do ensino jurídico no estado.

VEJA O RESULTADO e lista de aprovados da prova objetiva do Exame de Ordem 3 de 2008 clicando no "link" abaixo:

http://www.oabms.org.br/adm/arquivos/05198aa181b4bf789f0ae053ddb7b9ba.pdf

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13