Rádios On-line
11559

PM de Paranaíba lidera apreensões de crack em MS

: Nas operações antitráfico, PM de Paranaíba apreendeu a maior quantidade de crack

13 NOV 2012 - 07h:32Por Reprodução

O 13º Batalhão da Polícia Militar (13º BPM), sediado em Paranaíba, lidera, no âmbito da PM, as apreensões de crack no Estado. De acordo com balanço divulgado nesta sexta-feira pelo Comando de Policiamento do Interior (CPI), dos 25,7 kg de crack apreendidos de janeiro a outubro deste ano, a PM de Paranaíba foi responsável pela apreensão de 19,4 kg.

O 13º BPM tem atuação estratégica no Bolsão, em razão de os municípios se situarem na divisa com São Paulo, Minas Gerais e Goiás, estados populosos e com alto consumo de drogas.

A recomendação é de vigilância permanente, já que os traficantes fazem dos eixos rodoviários da região corredores para levar a droga a esses estados. “Estamos recomendando atenção especial para que a região não se transforme em corredor de drogas para os estados vizinhos”, diz o coronel Nelson Antonio da Silva, comandante do CPI.

BALANÇO

De acordo com o CPI, a Polícia Militar apreendeu, nos 10 primeiros meses de 2012, quase 58 toneladas de entorpecentes. Dos 57.798,296 kg retirados de circulação pelos batalhões e companhias independentes, 56.731,061 kg são de maconha.

O 14º Batalhão de Polícia Militar Rodoviário (BPMRv), com 13,9 toneladas, e a 3ª CIPM de Amambai, com 12,7 toneladas, foram os principais responsáveis pela apreensão de drogas no período.

A PMRv realiza abordagens em veículos que transitam pela maioria das rodovias estaduais. Com base em conhecimentos técnicos e em denúncias, identifica, apreende entorpecentes e ainda prende os envolvidos no tráfico. A unidade foi a que mais apreendeu haxixe: 33,7 kg de um volume de 65,7 kg.

A 3ª CIPM, por estar localizada em faixa de fronteira, desenvolve uma ação mais repressiva, com o suporte da Agência Central de Inteligência da PMMS.

As unidades do interior ainda apreenderam 839,635 kg de cocaína - a maior parte pelo 6º BPM de Corumbá e Ladário, em razão das características geográficas, já que cobre a fronteira por onde entra a cocaína. Somente na área do 6º BPM, foram apreendidos 674,662 kg de cocaína.

Já na fronteira com o Paraguai, o balanço indica a apreensão de 136,163kg de pasta-base, sendo que o 4º BPM de Ponta Porã foi responsável pelo volume de 100,9kg da droga.

“O combate ao tráfico é prioridade porque é um crime que se desdobra em vários outros delitos, como o roubo, o furto e o homicídio, além de abalar a estrutura familiar e colocar em risco toda a sociedade. Nossa função principal é a prevenção, por isso buscamos diariamente novas formas de aprimorar essas operações. O trabalho da Agência Central de Inteligência tem sido fundamental para nos ajudar a planejar as ações, prender criminosos, apreender entorpecentes e inibir o crime”, diz o coronel Nelson Antonio da Silva, comandante de Policiamento do Interior.

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13