Rádios On-line
8991

Saúde vai inspecionar farmácias de manipulação do MS

A inspeção será feita nas grandes cidades do Estado ? como Campo Grande, Dourados e Três Lagoas

7 FEV 2009 - 09h:10Por Redação

Começa neste mês de fevereiro a inspeção de farmácias realizada todos os anos pela Secretaria de Saúde (SES). As drogarias e farmácias comerciais serão verificadas pela Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) municipal, enquanto os estabelecimentos que manipulam fórmulas serão de responsabilidade da SES.

A divisão das inspeções se deve ao corpo técnico envolvido, conforme explica Vivian Poppi, gerente técnica da área de medicamentos da SES: “Por se tratar de farmácias que produzem remédios, que manipulam produtos químicos e seguem rigorosos padrões de saúde e qualidade, tal como os das grandes indústrias farmacêuticas, por isso a SES fará as avaliações”.

Vivian acrescenta que a inspeção será feita nas grandes cidades do Estado – como Campo Grande, Dourados e Três Lagoas, por exemplo – e também naquelas em que a Anvisa sinalizar que não terá capacidade de fazê-lo, tal como já informaram São Gabriel do Oeste e Maracaju. A intenção é visitar, no mínimo, duas vezes cada estabelecimento. Porém, dependendo do universo de verificação, poderá ser feita mais regularmente.

Alguns dos itens avaliados nas farmácias de manipulação referem-se ao controle da água, de matéria-prima, técnicas de esterilização e condições físicas do prédio. Nos locais em que forem verificadas irregularidades, a SES irá solicitar as modificações, apresentando um prazo para as mudanças. Já em casos considerados extremos, poderá ser solicitado o fechamento temporário do estabelecimento.

Nas farmácias comerciais, serão conferidos – pelas agências de vigilância municipais – medicamentos com data de validade vencida ou que foram suspensos tanto pela indústria como pela vigilância sanitária, além de qualidade no armazenamento e controle de medicamentos controlados.

“Quando um paciente vai comprar um medicamento de uso controlado, a receita deve ficar na farmácia e o responsável precisa arquivá-las, de modo a comprovar que a saída dos medicamentos está de acordo com o número de receitas retidas. Se um estabelecimento comprou 12 caixas do medicamento, e só tem quatro receitas, ele pode estar vendendo remédios sem prescrição”, alerta Vivian.

As vistorias nas farmácias serão concentradas nos meses de fevreiro e março. Os consumidores que perceberem qualquer irregularidade nas farmácias podem denunciar na Vigilância Sanitária do município ou ainda no Procon, pelo Disque-Denúncia 151.

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13