Rádios On-line

Tecnologia irá acabar com 7 milhões de empregos nos próximos cinco anos

As áreas que irão crescer são as de tecnologia e engenharia, normalmente áreas que pagam bons salários

21 JAN 2016 - 07h:55Por Redação

Estudo realizado pelo Fórum de Pesquisa Mundial aponta que o avanço da tecnologia deve acabar com cerca de 7 milhões de empregos nos próximos cinco anos.  

Para realizar a pesquisa foram contatados diversos diretores de recursos humanos.

Foi identificado que as pessoas deverão estar melhores capacitadas, do contrário a desigualdade irá aumentar consideravelmente.

De acordo com o resultado obtido, os setores que mais irão crescer nesse período estão relacionados a inteligência artificial, robótica, nanotecnologia e impressão 3D, tornando assim desnecessários alguns trabalhos atuais.

Em contrapartida, ao mesmo tempo que diversas profissões deixarão de existir, muitas outras aparecerão, sendo assim necessários profissionais para suprir essa demanda. 

As áreas que irão crescer são as de tecnologia e engenharia, normalmente áreas que pagam bons salários.

A instituição nomeia essa mudança como a quarta revolução industrial.

Estudo realizado pelo Fórum de Pesquisa Mundial aponta que o avanço da tecnologia deve acabar com cerca de 7 milhões de empregos nos próximos cinco anos.  

Para realizar a pesquisa foram contatados diversos diretores de recursos humanos.

Foi identificado que as pessoas deverão estar melhores capacitadas, do contrário a desigualdade irá aumentar consideravelmente.

De acordo com o resultado obtido, os setores que mais irão crescer nesse período estão relacionados a inteligência artificial, robótica, nanotecnologia e impressão 3D, tornando assim desnecessários alguns trabalhos atuais.

Em contrapartida, ao mesmo tempo que diversas profissões deixarão de existir, muitas outras aparecerão, sendo assim necessários profissionais para suprir essa demanda. 

As áreas que irão crescer são as de tecnologia e engenharia, normalmente áreas que pagam bons salários.

A instituição nomeia essa mudança como a quarta revolução industrial.

(Agência Rádio 2)

Deixe seu Comentário