Rádios On-line
MANOEL DE BARROS

"É muito difícil ninguém ter ouvido os barulhos da serra elétrica", diz escultor

Sem um dos pés desde o fim de semana, estátua de "Maneco" corre o risco de ser retirada do local para passar por restauração

21 ABR 2021 - 11h:00Por Thais Cintra e Isabelly Melo

Considerada um dos cartões postais de Campo Grande, a escultura em bronze do poeta cuiabano Manoel de Barros, localizada na avenida Afonso Pena, foi depredada no último domingo (16), tendo um dos "pés" arrancado por vândalos. O artista plástico Ique Woitschach responsável pela confecção da peça, disse não acreditar que o furto foi feito por moradores de rua e/ou usuários de drogas. "Isso foi muito arquitetado e quem furtou, usou serra profissional para cortar o pé. É muito difícil ninguém ter ouvido os barulhos em plena avenida, ainda mais durante a madrugada. Preciso ver os estragos de perto e estou torcendo pra que nao seja necessário retirar a escultura do local, mas ninguém ainda entou em contato comigo", explicou. 

O escultor foi enfático ao dizer que o crime tem viés politico e que vêm alertando as autoridades locais há mais de três anos, para reforçarem a segurança e manutenção da obra. "Essa não é a primeira vez que a esculura sofre danos. Um atentado gratutito. Mais uma vez a arte é instrumento de jogadas políticas e falta de cultura da sociedade. É a mesma coisa de cortar o pé da escultura de Drummond no Rio de janeiro. O que me preocupa, é que o poder público não toma nenhuma atitude para evitar esses ataques, isso é muio triste", desabafou. 

Conforme a prefeitura, imagens de câmeras de segurança estão sendo analisadas pela central da Guarda Civil Metropolitana (GCM), responsável pelo patrulhamento no local e ainda não foi possível identificar os autores do crime. A Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS), vai fazer um boletim de ocorrência, para que os órgãos de segurança pública investiguem e localizem os responsáveis pelo ato de vandalismo. Será feita também a abertura de procedimento interno para a restauração da estátua. 

História 

Inaugurada em 19 de dezembro de 2017 a estátua de Manoel de Barros marcou também a comemoração de nascimento do poeta, além dos 40 anos de Mato Grosso do Sul. A obra de arte mede 1,38 metro de altura (incluindo o pedestal de fixação da base de concreto) por 1,60 metro de largura, a escultura em tamanho real apresenta algumas características marcantes, rica em detalhes, desde o sorriso cativante do poeta aos seus trajes simples, as pernas cruzadas, o tênis surrado, ao lado de caramujos e do ninho de pomba, com os quais dialogava e se inspirava entre imagens, lembranças e metáforas.

 

Deixe seu Comentário