Rádios On-line
ESPORTE

Atletas de MS se destacam na Copa Brasil de Wrestling

Os representantes do Estado voltaram para casa com uma medalha de ouro, uma de prata e uma de bronze

10 DEZ 2019 - 14h:07Por Isabelly Melo

Dois atletas de Mato Grosso do Sul destacaram-se no Campeonato Brasileiro Interclubes-Copa Brasil de Wrestling Sênior 2019 e trouxeram três medalhas para casa, sendo uma de ouro, uma de prata e uma de bronze. A competição aconteceu de 5 a 8 de dezembro no ginásio do Palácio dos Esportes, em Natal-RN. 

De acordo com a Confederação Brasileira de Wrestling (CBW), foram realizadas 315 lutas nos três estilos olímpicos da modalidade (greco-romano, livre e feminino), nas categorias etárias júnior e sênior. Pela primeira vez na história, o wrestling nacional contou com um torneio no qual os atletas representaram clubes.

Amanda Lima Leal foi campeã no wrestling feminino, na classe júnior até 57 quilogramas. A sul-mato-grossense ainda ficou com o segundo lugar na categoria etária sênior, até 59 quilogramas. Já Gabriel Mota levou o bronze no estilo livre, pela categoria júnior até 65 kg. 

Ambos os atletas são treinados pelo sensei Agnaldo Pereira dos Santos, contemplado pelo Programa Bolsa-Técnico, oferecido pelo Governo do Estado, por meio da Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul (Fundesporte). 

Amanda e Gabriel treinam na RA Academia Fitness e Combat, de Campo Grande. Na classificação por equipes no wrestling feminino, categoria júnior, a agremiação campo-grandense fechou a competição nacional na quinta posição, com 25 pontos. 

A modalidade

O wrestling, também conhecido como luta olímpica, é uma arte marcial em que os participantes utilizam técnicas de agarramento, arremessos e derrubadas, chaves, pinos e outros golpes. A competição física é uma das mais antigas que se tem registro. Embora não haja confirmação de uma data precisa, acredita-se que a modalidade começou a ser praticada no período Micênico da Grécia Antiga.

As lutas têm duas modalidades, divididas em sete categorias cada. O estilo greco-romano difere do livre por um aspecto simples. No primeiro, só se pode utilizar os braços e o tronco, enquanto no segundo o uso das pernas também é permitido. No entanto, em ambos o objetivo é imobilizar o adversário de costas para o chão. Golpes baixos, estrangulamento, dedo nos olhos e puxões de cabelo não são permitidos.

Os combates são divididos em dois rounds de três minutos cada. Caso nenhum dos atletas consiga imobilizar seu adversário, o embate é decidido por pontos, que variam de acordo com os golpes e punições aplicados.

*Informações Assessoria Fundesporte 

Deixe seu Comentário

Maílson interno

Rádio CBN CG

Ver Todos os Vídeos