Rádios On-line
CORUMBÁ

Cavalos pantaneiros são vendidos com preço médio de R$ 14,6 mil durante Feapan

Feira Agropecuária do Pantanal encerrou neste domingo (18) em Corumbá

19 NOV 2018 - 08h:35Por Ronie Cruz/CBN

Quatorze mil e seiscentos reais. Este foi o preço médio de comercialização do cavalo pantaneiro durante os cinco dias da Feira Agropecuária do Pantanal (Feapan) realizada em Corumbá, a 429 quilômetros de Campo Grande. O sucesso do leilão foi completo, conforme o presidente do Sindicato Rural de Corumbá, Luciano Leite, um dos criadores do cavalo pantaneiro.

“Alcançamos uma média ótima (R$ 14.600), num período ruim de comercialização devido a crise econômica, o que demonstra a força do cavalo pantaneiro no mercado”, disse Luciano, que exerce também o cargo de subsecretário de Desenvolvimento Econômico e Sustentável na prefeitura de Corumbá.

A feira começou no dia 14. No sábado (17), a feira reuniu um lote de cavalos pantaneiros, raça nobre que se adaptou ao complexo sistema hidrológico do bioma. Pela primeira vez, o leilão de equinos foi realizado fora do Parque de Exposição Belmiro Maciel de Barros. Desta vez o espaço escolhido para a ‘Noite do Cavalo Pantaneiro’ foi o ginásio de esportes do clube Corumbaense. Uma noite de gala com o objetivo de valorizar o animal e o trabalho e dedicação dos criadores, responsáveis pela preservação da raça.

Para Leite, a movimentação financeira dos leilões de touros e do cavalo pantaneiro acima da média se deve, também, ao trabalho de aproximação e integração com os pecuaristas da Bolívia que participaram do evento.

No leilão de 200 touros, na sexta-feira (16), por exemplo, a presença de um grupo de produtores da Bolívia aqueceu a comercialização dos animais. Alguns reprodutores foram vendidos acima da média, em torno de R$ 9 mil.

“Alcançamos preços excelentes nesse leilão”, disse o leiloeiro Carlos Guaritá, explicando que, ao contrário de outras regiões, a Feapan ofereceu poucas opções de frete embutido no preço do animal para entrega do animal ao comprador. “A presença dos bolivianos foi fundamental.”

Campeões de venda
No leilão que reuniu 38 cavalos pantaneiros, a maioria de criadores de Corumbá, o destaque ficou para a compra de animais por novos investidores na raça de várias regiões do Estado e também da Bolívia. Animais criadores em Corumbá também foram adquiridos por pecuaristas de Mato Grosso.

O cavalo mais disputado no leilão foi o Feitiço da Jotaca, dos criadores André Thuronyi e Luiz Rodolfo, vendido a R$ 30 mil (30 parcelas de R$ 1.000). Outro destaque foi a égua Favorita Jotaca, de João Carlos Segala, arrematada por R$ 27 mil. Alguns criadores ofereceram fretes até para Santa Cruz de La Sierra.

Deixe seu Comentário