Rádios On-line
AGRONEGÓCIO

Com aumento de 6%, Plano Safra 21/22 será de R$ 251,2 bilhões

Recursos para produções sustentáveis tiveram destaque nos investimentos para o ano

22 JUN 2021 - 16h:34Por Giovanna Dauzacker

O Plano Safra 2021/2022 será de R$ 251,2 bilhões, aumento de 6,3%, ou R$ 14,9 bilhões, na comparação com os investimentos feitos no ano 2020/2021. O anúncio foi feito na tarde desta terça-feira (22), no Palácio do Planalto, em Brasília.

Do total, serão disponibilizados R$ 177,78 bilhões para custeio e comercialização e R$ 73,4 bilhões para investimentos, o qual teve aumento de 29%.

Durante o evento, a Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Tereza Cristina, destacou investimentos em tecnologia e ciência para a evolução da agricultura no país e o aumento do interesse de instituições financeiras para investir no setor.

Entre os destaques deste plano safra, estão os recursos para produções e técnicas sustentáveis, como o aumento de 101% do montante para o Programa para Redução de Emissão de Gases de Efeito Estufa na Agricultura (Programa ABC), passando de R$ 2,5 bilhões para R$ 5 bilhões, com taxas de 5,5% a 7% de juros ao ano, carência de até oito anos e prazo máximo de pagamento de 12 anos.

O Proirriga, programa destinado ao financiamento da agricultura irrigada, terá R$ 1,35 bilhão, com juros de 7,5% ao ano. Já o Inovagro, voltado para o financiamento de inovações tecnológicas nas propriedades rurais, ficou com R$ 2,6 bilhões, e taxas de juros de 7% ao ano.

Outro destaque foi a criação do financiamento no Pronaf Bioeconomia, em Sistemas Agroflorestais, Produção de Bioinsumos e Turismo Rural.

Para o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), serão destinados R$ 39,34 bilhões, aumento de 19% na comparação ao ano anterior, com juros de 3% e 4,5%. Desse total, R$ 21,74 bilhões são para custeio e comercialização e R$ 17,6 bilhões para investimentos.

Para o médio produtor, no âmbito do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp), foram disponibilizados R$ 34 bilhões, um aumento de 3% em relação à safra passada. São R$ 29,18 bilhões para custeio e comercialização e R$ 4,88 bilhões para investimento, com juros de até 6,5% ao ano. O Seguro Rural também foi ampliado para R$ 1 bilhão.

 

Armazenagem

Os recursos para a construção de armazéns nas propriedades também tiveram um aumento significativo. Serão destinados R$ 4,12 bilhões, um acréscimo de 84%. Para o financiamento de armazéns com capacidade de até 6 mil toneladas nas propriedades, a taxa de juros é de 5,5% e para maior capacidade a taxa é de 7% ao ano, com carência de três anos e prazo máximo de 12 anos.

O Plano Safra 21/22 prevê recursos para o custeio de milho, sorgo e à atividade de avicultura, suinocultura, piscicultura, pecuária leiteira e bovinocultura de corte em regime de confinamento: R$ 1,75 milhão (Pronamp) e R$ 4 milhões para os demais produtores.

Deixe seu Comentário