Rádios On-line
MUDANÇAS

Conta de energia elétrica pode ficar 7,5% mais cara

Gestora da Energisa-MS afirma que crise hídrica é um dos fatores que podem elevar tarifas

18 JUN 2021 - 15h:00Por Thais Cintra

A crise hídrica que atualmente afeta o país pode aumentar as contas de energia elétrica e nas próximas semanas, é esperado um anúncio sobre o aumento dos preços das bandeiras tarifárias. A expectativa é de que a conta fique 7,5% mais cara. Conforme a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a crise pela escassez de água enfrentada pelo país neste ano já permite estimar uma alta de pelo menos 5% nas contas de luz em 2022.

Nesta sexta-feira (18), a presidente do Conselho de Consumidores da Área de Concessão da Energisa (Concen-MS), Rosimeire Costa, explicou em entrevista à Rádio CBN Campo Grande, que o aumento na conta de energia é consequência da crise hídrica que afeta bastante a economia e o bolso dos conusumidores. "O governo federal deixou de observar algumas questões de gestão, tanto que os relatórios apontam que muitas termoelétricas apresentaram problemas no funcionamento, o que não foi investigado pelos órgãos", explicou.   

A gestora ainda falou sobre a privatização da Eletrobrás que também deve influenciar no aumento das tarifas de energia elétrica. De acordo com Aneel, as mudanças devem encarecer a conta de luz nas próximas semanas, incluindo um aumento de mais de 20% na bandeira tarifária mais alta – que está em vigor atualmente e já adiciona R$ 6,24 na conta para cada 100 kWh consumidos ao mês. 

O aumento dos preços da energia tem relação com o maior acionamento das usinas termelétricas (mais caras) para suprir uma queda de geração das usinas hidrelétricas. O Brasil enfrenta a pior estiagem dos últimos 91 anos, segundo o governo. Confira a entrevista completa: 

Deixe seu Comentário