Rádios On-line
POLÍTICA

De saída do PSL, Capitão Contar é processado por Azambuja

Segundo a defesa do governador, as acusações de superfaturamento de cestas básicas são infundadas

27 MAI 2020 - 09h:10Por Da redação

De malas prontas para sair do PSL, sigla na qual se elegeu deputado estadual em Mato Grosso do Sul, Capitão Contar está sendo processado pelo governador Reinaldo Azambuja por espalhar fake News sobre o superfaturamento de cerca de R$ 1 milhão na compra de cestas básicas para ajudar famílias carentes durante a pandemia do novo coronavírus.

Num post nas redes sociais, o parlamentar acusa o governo de Azambuja de comprar as cestas por um valor mais caro que o de mercado e “sem licitação”. Em documento divulgado no Diário Oficial do Estado, a Secretaria Estadual de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho informa que o contrato de compra de 60 mil cestas básicas da empresa Tavares & Soares Ltda teve custo de R$ 5,820 milhões, ou seja, cada cesta saiu por R$ 97.

Entretanto, de acordo com um orçamento de 500 cestas apresentado pelo parlamentar, o custo de cada unidade seria de R$ 81,11. Nesta conta, o valor total para a compra de 60 mil unidades é de R$ 4,866 milhões, R$ 953 mil reais a menos que o informado pelo governo.

Seguindo a linha de raciocínio do deputado, o governo poderia comprar mais 11.754 cestas. Contar afirma que denunciou o Governo do Estado à Polícia Federal, Controladoria-Geral da União, Ministério Público Federal, Ministério Público Estadual e ao Tribunal de Contas do Estado.

A defesa de Azambuja afirma que o deputado usa termos vagos e imprecisos para acusar o governo, além de não respeitar o decoro exigido de um parlamentar. Os advogados ainda afirmam que a contratação sem licitação foi emergencial e autorizada por Lei, seguindo todas as regras previstas nas normas públicas.

O governador afirma que depois da publicação, que tem mais de 6 mil reações, 848 comentários e 2.5 mil compartilhamentos, passou a ser alvo de ataques nas redes sociais.

Cestas básicas 

Cada cesta comprada pelo governo é composta por 02 pacotes com 500 g de macarrão tipo espaguete; 01 pacote com 400 g de leite em pó integral; 02 pacotes com 5 kg de arroz agulha, longo fino, tipo 1; 01 pacote com 2 kg de açúcar cristal branco; 02 pacotes com 1 kg de feijão comum; 01 unidade com 900 ml de óleo de soja refinado; 01 lata com 125 g de sardinha em conserva em óleo comestível.

De malas prontas

Com quase tudo acertado para deixar o PSL, o Capitão Contar já foi cotado para ser candidato da sigla à Prefeitura de Campo Grande. Entretanto, o parlamentar seguirá os passos do presidente Jair Bolsonaro, do qual é fiel apoiador, e irá para o Aliança Pelo Brasil, assim que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) formalizar a criação do partido.

Deixe seu Comentário

Rádio CBN CG

Ver Todos os Vídeos