Rádios On-line
AGRONEGÓCIO

Febre aftosa: Começa segunda etapa da vacina em todo o Brasil

Santa Catarina é o único estado que não precisa vacinar. A doença não é uma zoonose, não afeta o ser humano

2 NOV 2018 - 10h:22Por Éder Campos

Começou dia 1º de novembro a segunda etapa de vacinação contra a febre aftosa na maior parte dos estados brasileiros. Nesta fase da campanha, 100% das vacinas são bivalentes, ou seja, oferecem imunização para apenas dois tipos de vírus da doença. Existem sete diferentes sorotipos de vírus da Febre Aftosa: O (o mais comum), A, C, SAT (South African Territory)-1, SAT-2, SAT-3 e Ásia–1. Os quatro últimos são considerados exóticos no Brasil. Os que tem mais influência na América Latina são os sorotipos O, A e C, sendo que os últimos isolamentos no Brasil demonstraram a presença do tipo O.

Mato Grosso do Sul
Aqui no estado a meta é de imunização de 8 milhões de animais. Nesta segunda etapa da campanha a fronteira e o planalto imunizam animais até 24 meses e o pantanal todo o rebanho, de mamando a caducando.
As vacinas devem ser adquiridas e aplicadas entre os dias 1º e 30 de novembro nas regiões de fronteira e planalto e o registro deve ser realizado até dia 15 de dezembro. Na região do Pantanal as vacinas devem ser aplicadas até 15 de dezembro e o registro deve ser realizado até dia 30 de dezembro. Nas três regiões, a comprovação de que o rebanho foi vacinado deve ser realizada diretamente pelo produtor no site da Agencia Estadual de Defesa Sanitária, ou em casos específicos, e a critério da Iagro, em seus escritórios locais.

Brasil
Em maio deste ano a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) declarou) o Brasil livre de febre aftosa com vacinação.
Há mais de 50 anos o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em parceria com a iniciativa privada, vem desenvolvendo programas para erradicar a febre aftosa dos rebanhos brasileiros. Os avanços já podem ser comprovados. O último caso registrado no Brasil foi em 2006 em Mato Grosso do Sul. O objetivo principal desse trabalho é o reconhecimento mundial de país livre da febre aftosa. 

Plano Estratégico do PNEFA 2017 – 2026
O Plano foi elaborado sob a coordenação do MAPA e tem como objetivo principal, criar e manter condições sustentáveis para garantir o status de país livre da febre aftosa e ampliar as zonas livres sem vacinação. Ainda foi organizado didaticamente em 16 operações, compostas por 102 ações a serem executadas no período de 10 anos.
Para conduzir o processo de transição de status sanitário, de livre com vacinação para livre sem vacinação, as unidades da Federação foram organizadas em cinco blocos. Está prevista uma evolução progressiva das zonas livres sem vacinação em três etapas, iniciando-se em 2019 e finalizando em 2023, conforme demonstrado abaixo:

 

 

LEGENDA

  • A: Implementação dos compromissos e ações prévias pactuadas;
  • B: Comunicação à OIE em maio e Suspensão de vacinação em junho;
  • C: Vigilância Soroepidemiológica;
  • D: Reconhecimento pelo MAPA e encaminhamento de pleito à OIE;
  • E: Avaliações e reconhecimento pela OIE.

*Informações e gráficos MAPA

Deixe seu Comentário