Rádios On-line
ORÇAMENTO

LDO deixa Campo Grande de fora

Fábio Trad reclamou que Campo Grande não foi contemplada e ameaçou recorrer à Justiça para obter emendas para a cidade

29 JUN 2019 - 08h:00Por Márcia Paravizzi

Os deputados e senadores de  Mato Grosso Sul se reuniram  nesta semana para definir as emendas da bancada que  serão incluídas na LDO (Lei de Diretrizes Orçamentarias) para o Estado. “O objetivo da reunião foi buscar uma unidade da bancada para focar em projetos estratégicos para Mato Grosso do Sul e conseguimos isso. Entendemos que, trabalhando de forma unida, podemos encaminhar esses projetos no orçamento da União e com isso liberar os recursos para o Estado”, afirmou o senador Nelsinho Trad (PSD), coordenador da bancada.

No entanto, a unidade a que o senador buscava não se refletiu na reação do deputado federal Fábio Trad (PSD), ao saber que Campo Grande não foi contemplada com as emendas. Fábio não pôde comparecer à reunião, mas mandou um assessor, que não teria sido ouvido pela bancada. Nesta quinta-feira (27), o deputado chegou a ameaçar ir à Justiça caso a bancada não direcione emenda para a Capital.

“Se necessário recorro à Justiça, mas espero que, em nome da harmonia com que trabalhamos aqui no Congresso, a bancada tenha sensibilidade política para não deixar de fora a Capital nas emendas. É a cidade que tem o maior número de problemas”, disse Fábio.

 Os parlamentares indicaram  três emendas individuais: as obras de pavimentação da BR-419, que liga Rio Verde, Aquidauana, Nioaque e Jardim, e a construção dos trechos em Mato Grosso do Sul das ferrovias EF-484 – Maracaju e EF-267- Pantanal.

Também foram definidas três emendas de bancada, entre elas a do Corredor Bioceânico, que sai de Santos, passa por Mato Grosso do Sul e vai até Antofagasta (Chile), ligando o Oceano Atlântico ao Pacífico.

Quando finalizado, o corredor vai representar a redução de 8 mil quilômetros marítimos de distância entre o Brasil e os países asiáticos, bem como a redução de 40% dos fretes e a geração de economia e renda para Mato Grosso do Sul e o País.

Também foram escolhidos como prioritários o desassoreamento do rio Taquari e investimentos para implementação do Sisfron (Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras), projetado para vigiar 17 mil quilômetros de fronteiras de 10 países. 

“Foi superprodutivo. É bacana trabalhar assim, porque representa o sentimento real das necessidades que o Mato Grosso do Sul tem”, destacou a deputada federal Rose Modesto (PSDB). 

Nesta quinta-feira, Nelsinho Trad  divulgou nota  respondendo as afirmações do seu irmão Fábio Trad sobre as prioridades  da bancada: “Os projetos prioritários abordados durante a reunião da bancada federal de Mato Grosso do Sul foram elaborados por técnicos da Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização (CMO). Por fim, os projetos selecionados pela bancada contemplam grandes projetos de infraestrutura, como ferrovias/rodovias, sistema de segurança e ações para preservação ambiental do nosso santuário, presente de Deus, o Pantanal.”

Deixe seu Comentário

Rádio CBN CG

Ver Todos os Vídeos