Rádios On-line
ALARMANTE

MS já sofre com falta de medicamentos do "kit intubação", revela levantamento

Cisatracúrio, que é bloqueador neuromuscular, e o anestésico Propofol já não estão disponíveis nos hospitais

13 AGO 2020 - 17h:55Por Marcus Moura/CBN

Mato Grosso do Sul faz parte do grupo de 22 estados brasileiros que estão com estoques zerados, ou em níveis alarmantes de medicamentos que fazem parte do kit intubação, essenciais no tratamento de casos graves da COVID-19. Dois medicamentos específicos, um bloqueador neuromuscular e um anestésico, já não são mais encontrados nos estoques dos hospitais.

Os dados são de um relatório do site UOL com informações do Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde) e leva em conta a realidade de 1.500 hospitais. No Estado, os medicamentos Cisatracúrio, na versão ampola 10ml, que é bloqueador neuromuscular, e Propofol, frasco de 100 ml, que é um anestésico, já não estão disponíveis nos hospitais.

Segundo o secretário de saúde do Estado, Geraldo Resende, o Governo desde o início da pandemia articula junto ao ministério da Saúde a compra de insumos, porém como a falta é global, as fábricas estão trabalhando no limite e não conseguem atender a todos os pedidos. “A gente faz o pedido e quando recebe vem uma quantidade bem menor do que a que foi acordada, porque todos os estados estão passando por esta situação. Temos pedido ao ministério que nos repasse estes medicamentos, porém a demanda é muito superior a oferta”, explica. O kit intubação é composto por 22 drogas.

Resende revela que há uma força-tarefa para aquisição de remédios de outros países com o auxílio da Opas (Organização Pan-Americana da Saúde), porém, a burocracia ainda é um empecilho. “A Anvisa precisa autorizar a importação de certos tipos de substância e isso atrasa um pouco mais o processo de compra e licitação”, acrescenta.

Até mesmo a ministra da agricultura, Tereza Cristina, tem intervindo a favor de Mato Grosso do Sul junto ao Governo Federal. “A própria ministra tem cobrado remédios para o nosso Estado, porém a situação é muito difícil”.

Mortes em alta

Na live do Boletim Coronavírus desta quinta-feira (13), os dados reafirmam que a situação na Capital inspira muitos cuidados. Nos primeiros 12 dias do mês de agosto, Campo Grande já registrou mais da metade dos óbitos computados durante todo o mês de julho. A situação é similar a nível estadual. “ Já temos a metade dos óbitos registrados em julho neste mês de agosto. No Estado, já temos 161 óbitos até o dia 12, no mês passado inteiro foram 319. Campo Grande tem 69 dos óbitos registrados em agosto, quando em julho foram 131 no mês todo”, finaliza.

Deixe seu Comentário

Rádio CBN CG

Ver Todos os Vídeos