Rádios On-line
9257
POLÍTICA

Puccinelli preside reunião do MDB e não confirma candidatura em 2020

Executiva estadual do partido se reuniu em Campo Grande nesta sexta-feira para discutir rumos da sigla nas eleições do ano que vem

16 MAR 2019 - 10h:33Por Loraine França

“Não há pretensão minha em ser candidato a nada, ao menos nesse momento. Pode ocorrer? Quem sabe? O futuro a Deus pertence”. Com esse posicionamento, o ex-governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, atual presidente do Movimento Democrático Brasileiro (MDB) no Estado, descartou disputar as eleições do ano que vem para a sucessão municipal. Puccinelli se reuniu na manhã desta sexta-feira (15) com integrantes do diretório do partido para discutir a organização da sigla para 2020. 

Segundo ele, o objetivo da primeira reunião de 2019 é fortalecer o partido no Estado, dando oportunidade de ação aos diretórios municipais na escolha de candidaturas. Em coletiva, avaliou o enfraquecimento do MDB como cíclico. “O MDB foi muito forte logo após a primeira eleição livre, direta, para governador do Estado. Se enfraqueceu e, depois, se fortaleceu”, disse.

Afastado da política depois de ser preso na operação Lama Asfáltica, do Ministério Público, o ex-governador - que está em liberdade desde dezembro de 2018 -, deve permanecer na presidência da sigla até o final deste ano. Até lá, o MDB deve continuar atuando com a atual composição. “Vamos tocar com esse time e o do interior. Cada diretório municipal vai se reunir no município, palpitar e dizer aqui ao que veio”. 

O partido, que não tem nomes definidos para a Prefeitura de Campo Grande, espera lançar candidatos em 50 municípios.

Renascer das cinzas

A senadora Simone Tebet explicou que a executiva vai analisar a força do partido nos municípios e estudar em quais locais serão lançadas candidaturas próprias. “Eu mesma advogo que só lancemos candidaturas próprias onde temos condições de ganhar”, disse.

Para Simone, o MDB precisa "repensar" acertos e os erros e "parar de viver do passado". “Se tivermos que renascer das cinzas, nós vamos renascer das cinzas”, resumiu. 

Sobre lançar seu nome à prefeitura da capital, a senadora disse considerar  o momento impróprio para falar do assunto, que deverá ser tratado pela executiva municipal. “Nós temos, dentro do quadro do MDB, se não uma centena, pelo menos uma dezena de nomes de filiados que têm condição de colocar-se à disposição para a disputa da prefeitura. Vamos aguardar”.

Deixe seu Comentário

Rádio CBN CG

Ver Todos os Vídeos