Rádios On-line
MOVIMENTAÇÃO INDUSTRIAL

Setor de panificação destaca dificuldade para mão de obra qualificada

Empresário do ramo mudou segmento para dar continuidade nos negócios

17 MAI 2021 - 17h:20Por Thais Cintra

Há mais de 20 anos no ramo de panificação, o empresário José Augusto de Souza da Bread Indústria de Alimentos de Campo Grande https://www.instagram.com/bread_alimentos/, afirma que precisou readequar o negócio, devido à falta de qualificação profissional específica. “No início do empreendimento nós tivemos que mudar o segmento. Antes era para ser uma padaria, mas mudamos para a fabricação de congelados, por falta de funcionário capacitado e por ser mais prático. Até hoje, falta mão de obra qualificada e a gente acaba tendo que treinar e dar capacitação para o colaborador por conta própria”, ressaltou.

Atendendo mais de 90% dos estabelecimentos de alimentos como, supermercados, padarias, conveniências e restaurantes da capital, o empresário diz que ao longo da trajetória da empresa, precisou se diversificar os produtos para inovar o segmento.“Hoje atendemos todas as regiões da cidade e buscamos alinhar a produtividade com a qualificação profissional. A questão é que quando o funcionário é contratado, é preciso investir em cursos para manusear os equipamentos e entender o sistema de produção, e isso leva tempo e dinheiro, reforçou.

Dados da Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul (FIEMS), apontam que entre as dificuldades enfrentadas pelos industriais no estado no 1º trimestre de 2021, estão, a falta ou alto custo da matéria-prima, elevada carga tributária, competição desleal (informalidade, contrabando, etc).

Ainda segundo a pesquisa da Fiems, a taxa de câmbio e falta ou alto custo da energia, também foram os principais problemas apontados pelos industriais sul-mato-grossenses no primeiro trimestre deste ano.

Cenário das empresas no estado

Conforme a Jucems, órgão vinculado à Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), mostram que Mato Grosso do Sul atingiu um recorde histórico com a abertura de 2.372 empresas no primeiro trimestre de 2021. Mas ainda assim, muitas empresas não sobreviveram e fecharam as portas no mesmo período, totalizando 1.039 negócios.

Nesta segunda-feira (17), o secretário de Infraestrutura do Governo do Estado, Eduardo Riedel, participará do encontro ‘Movimento pela Retomada da Economia’, às 19 horas, na Casa da Indústria, onde ouvirá as principais instituições representativas de as demandas dos segmentos econômicos mais afetados pelas restrições da pandemia de coronavírus.

jpnews · Setor de panificação destaca dificuldade para mão de obra qualificada

 

Deixe seu Comentário