Rádios On-line
MUDANÇA

UFMS retira ingresso pelo SISU e gera polêmica

Ingresso na Universidade será somente pelo vestibular da Instituição e pelo PASSE

16 OUT 2020 - 11h:11Por Isabelly Melo

Após reunião ordinária do Conselho Universitário da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) na manhã desta sexta-feira (16), fica decidido, por 49 votos a favor e 10 contrários, que o ingresso de estudantes pelo Sisu (Sistema de Seleção Unificada) será temporariamente suspenso durante o primeiro semestre de 2021, com justificativa de atraso no calendário acadêmico e na formação de turmas da UFMS no próximo ano.

Serão disponibilizadas 80% das vagas para o Vestibular UFMS e 20% para o PASSE. Já no segundo semestre, de acordo com o reitor da UFMS, Marcelo Turine, a porcentagem de vagas disponpiveis para ingresso será de 40% para o Sisu, 40% para o vestibular e 20% para o PASSE.

A reunião contou com mediação de Marcelo Turine, da pró-reitora Camila Celeste e do pró-reitor de graduação, Ruy Alberto Caetano. Falaram a favor e em oposição a proposta os integrantes do COUN (Conselho Universitário da UFMS), entre eles a acadêmica de pedagogia da Instituição, Agnes Viana.

Nota do Sisu não será aceita no 1º semestre de 2021  Foto: UFMS

Segundo Agnes, que representa os acadêmicos perante o COUN, o receio é que vestibulandos não consigam ingressa na Instituição pelo Vestibular ou pelo PASSE, seja por não estarem preparados para a prova, já que o foco da maioria, de acordo com Agnes, seria o ENEM, ou por não poderem arcar com o custo da inscrição “Nos preocupa muito, porque o vestibular da UFMS voltou a pouco tempo, e nem todos sabe da existência, tem uma taxa de inscrição que não é barata e é uma prova específica, para uma só Universidade, o que dificulta ainda mais que o estudante tenha interesse de fazer aprova. Mas principalmente nos preocupa os estudantes que só vã fazer o Enem, o que é muito comum na escola pública”, apontou Agnes.

As inscrições para o vestibular da UFMS ainda não foram abertas, a previsão é de que isso ocorra ainda neste mês. De acordo com o pró-reitor Ruy Alberto, haverá isenção da taxa de inscrição para vestibulandos que comprovarem não poder arcar com o custo da taxa, que deve variar de R$80 a R$100.

Ainda na reunião, foi questionado a falta de dados para entender qual o impacto da retirada do Sisu, tanto para a Universidade, quanto para os vestibulandos de Mato Grosso do Sul e de outros Estados. “Uma justificativa para evidenciar que o ENEM não é necessário. Isso é bastante preocupante. Precisamos de mais dados para saber qual o impacto de não utilizar o Sisu, não para a Universidade, mas para os estudantes que poderiam entrar pelo Sisu.”, disse a professora e conselheira do COUN, Mariuza Aparecida.

O conselheiro Ruy Alberto disse que, após o primeiro semestre as vagas remanescentes serão direcionadas para ingresso pelo Sisu, “As vagas restantes do vestibular e do PASSE serão disponibilizadas para o ingresso de estudantes que fizeram o ENEM nos últimos anos, como de costume”, afirmou pró-reitor.

No campus de Aquidauana (CPAQ/UFMS), o representante docente do CPAQ, Ricardo Lopes Batista, apresentou insatisfação com a ideia de preencher as vagas no campus sem o Sisu “O vestibular quase não tem inscrições para alguns cursos, e penso que não seria uma perda tão grande o atraso na formação de estudantes. Então, acho que retirar o Sisu não seria a única forma de resolver o problema. Os colegas aqui de Aquidauana não entendem que retirar o Sisu seja a resolução. Temos que entender que a entrada pelo Sisu na UFMS é muito maior que o vestibular”.

Já a pró-reitora da UFMS, Camila Celeste, afirmou que houve sim um estudo de caso sobre os impactos da retirada do ingresso pelo Sisu. “A Prograd fez uma avaliação imensa sobre o calendário, o Enem e o Sisu demoram meses para sair os resultados, pensou-se em várias opções e essa foi a melhor maneira (retirar o Sisu).” afirmou Camila.

Mudança de última hora

Isabela Macêdo, de 17 anos, estudante do ensino público, e que almeja cursar jornalismo ou arquitetura, estava estudando o ano todo para ingressar na UFMS pela nota do Sisu, e quando soube da alteração na forma de ingresso disse que ficou decepcionada “Quando eu fiquei sabendo, eu fiquei bem decepcionada para falar a verdade. Porque eu perdi, basicamente, metade do meu ano só estudando pro ENEM, porque era o que eu queria tirar mais nota para poder entrar na faculdade, eu ia fazer o vestibular como uma nota extra. Aí agora eu tenho que correr mais atrás do veztibular, tá muito corrido agora.” disse Isabela.

A estudante revelou que, caso não consiga ingressar na Instituição pela nota no vestibular, o plano é seguir estudando mais um ano “Meu objetivo é só a UFMS, se eu não passar eu vou estudar mais um ano, porque eu não me vejo fazendo faculdade em particular”, afirmou a vestibulanda.

Confira a nota da UFMS na íntegra:

"Desde o início da pandemia mundial da Covid-19, a UFMS é uma das únicas instituições federais que cumprirá sua missão de finalizar as aulas do segundo semestre dentro do ano de 2020, contribuindo para a formatura de milhares de estudantes em 2020, jovens preparados para atuar nas residências, nas empresas, nos concursos públicos e em salas de aula em MS e no Brasil.

Com o adiamento das provas do ENEM e liberação dos resultados pelo SISU em 2021, muitas universidades, assim como a UFMS, estão, EMERGENCIALMENTE, encontrando alternativas para que os 22 mil estudantes matriculados não fiquem prejudicados. A adoção do SISU para o primeiro semestre de 2021 acarretará início do semestre letivo somente em junho/2021, atraso ou inexistência de formaturas e prejuízo a "normalidade" conquistada por todos estudantes, professores e técnicos da UFMS em 2020.

Por tal motivo, foi aprovado em caráter de excepcionalidade, em decorrência da pandemia da Covid-19, pelo Conselho de Graduação a oferta de 80% de vagas para o Vestibular e 20% de vagas para o Programa de Avaliação Seriada Seletiva (PASSE). A equipe técnica da UFMS reforça que o SISU poderá ser utilizado para os cursos com entrada no segundo semestre de 2021, caso haja tempo hábil e sem prejuízo ao calendário acadêmico.

A UFMS está de portas abertas aos estudantes de todo Brasil e do MS, que podem ingressar mediante vestibular ou Passe, com editais públicos nos moldes de várias universidades brasileiras, como USP, UFPR, UnB e UNICAMP, e de modo a evitar prejuízos aos estudantes de todo o país, em datas de provas que não coincidem com o ENEM (presencial e digital) e demais provas nacionais."

Deixe seu Comentário

Rádio CBN CG

Ver Todos os Vídeos