Rádios On-line

Alta da inflação pede uma resposta da política monetária, diz ata do Copom

Copom reiterou, entretanto, que ?incertezas internas e, principalmente, externas cercam o cenário prospectivo para a inflação?

25 ABR 2013 - 13h:15Por Redação

O nível elevado da inflação e a dispersão do aumento de preços pedem uma resposta da política monetária (elevação da taxa básica de juros, a Selic), na avaliação do Comitê de Política Monetária (Copom), formado pelos diretores e presidente do Banco Central (BC).

Na última reunião, realizada no dia 17, o comitê decidiu, por seis votos a favor, elevar a taxa Selic em 0,25 ponto percentual, para 7,5% ao ano. Os diretores de Política Monetária, Aldo Luiz Mendes, e de Assuntos Internacionais, Luiz Awazu Pereira da Silva, votaram pela manutenção da Selic em 7,25% ao ano. A ata da última reunião foi divulgada hoje (25).

De acordo com a avaliação do comitê, a inflação mostra resistência. O Copom reiterou, entretanto, que “incertezas internas e, principalmente, externas cercam o cenário prospectivo para a inflação e recomendam que a política monetária seja administrada com cautela”.
 
Segundo a ata, o julgamento de todos os membros do Copom é “convergente no que se refere à necessidade de uma ação de política monetária destinada a neutralizar riscos que se apresentam no cenário prospectivo para a inflação, notadamente para o próximo ano”.

Já para os diretores que votaram pela manutenção da Selic, “está em curso uma reavaliação do crescimento global e esse processo, a depender de sua intensidade e duração, poderá ter repercussões favoráveis sobre a dinâmica dos preços domésticos”. Por isso, para os dois diretores, não seria recomendável um aumento imediato da Selic. Essa análise, entretanto, não foi respaldada pela maioria do colegiado.

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13