Rádios On-line
8937
TVC

Eldorado amplia corte do eucalipto para abastecer fábrica

Primeiro fardo de celulose sai em novembro. Inauguração oficial está marcada para 13 de dezembro.

20 AGO 2012 - 16h:54Por Divulgação

Com a finalização das obras civis em 90 dias, a Eldorado Brasil aumenta o ritmo do corte de eucalipto para a primeira linha de produção de celulose da fábrica de Três Lagoas. O corte começou em maio e neste mês começou a encher o pátio da fábrica. A inauguração oficial está marcada para 13 de dezembro, mas o primeiro fardo de celulose deve ser embarcado já em novembro, de acordo com projeção feita pelo diretor-presidente da Eldorado, José Carlos Grubisich.

A Eldorado vai conduzir toda a cadeia de produção e industrialização do eucalipto – do plantio ao transbordo da celulose até os portos, garantindo assim custo de produção mais baixo. Cerca de 93% do processo de colheita são mecanizados.

O projeto de logística florestal foi concluído em junho. Três empresas do setor logístico rodoviário: JSL, Gafor e Transgold, são responsáveis pelo transporte de madeira para a unidade industrial. O volume total dos contratos soma R$ 500 milhões e a duração prevista é de cinco anos. A fábrica iniciará com capacidade de produção de 1,5 milhão de toneladas de celulose por ano. Quando estiver operando a plena capacidade, o pátio da fábrica receberá anualmente 5 milhões de metros cúbicos de madeira.

Para ampliar sua produtividade, a Eldorado optou por ‘primarizar’ todo o processo de produção florestal. Do plantio a colheita das florestas, até o transbordo da madeira para a estrada, tudo será realizado com equipamentos e colaboradores próprios.

TERMINAL

A Eldorado está investindo na construção de um terminal intermodal em Aparecida do Taboado, onde haverá um porto próprio para o embarque de celulose. Pelo porto serão escoados 50% de toda produção – cerca de 750 a 800 mil toneladas de um volume de 1,5 milhão de toneladas por ano.

Do terminal de Aparecida, a celulose será embarcada em vagões e transportada pela Ferronorte até Santos. As obras do terminal intermodal serão concluídas em outubro. A celulose produzida na fábrica de Três Lagoas seguirá em rodovia até Aparecida do Taboado.

Em Santos haverá ainda um terminal próprio da Eldorado, que prevê também a construção de porto em Três Lagoas para o transporte hidroviário, pelo Tietê, até Pederneiras (SP). Todo investimento em logística prevê a construção dos terminais intermodais e aquisição de locomotivas e vagões, que terão dimensões maiores em razão da bitola da ferrovia que passa por Aparecida do Taboado.

No ano passado a ALL e a Eldorado Brasil firmaram contrato para atender a fábrica de celulose de Três Lagoas. Com duração de 15 anos, o contrato prevê a movimentação de 800 mil toneladas por ano, com investimentos de cerca de R$ 300 milhões em material rodante, melhoria de via, além da construção dos terminais de transbordo em Aparecida do Taboado e Santos.

O objetivo da Eldorado é ampliar o uso dos modais hidroviário e ferroviário que apresentam maior economia em escala e menor impacto ambiental.

Serão usadas duas logísticas – uma com a celulose sendo transportada em caminhões até Aparecida do Taboado e de lá até Santos, pelo modal ferroviário. Outra, por meio da hidrovia, com barcaças subindo o Tietê até Pederneiras (SP) e de lá até Santos. As barcaças retornam com matéria-prima pela hidrovia.
 

Deixe seu Comentário

JORNAL DO POVO MOBILE

TVC Canal 13

JORNAL DO POVO