Rádios On-line
8503
Prefeitura PROREME 10 a 3011

IEL/MS faz levantamento de estrutura para escoamento de produção do Estado

O resultado será apresentado nesta terça-feira (09) durante a segunda reunião do Fórum Permanente de Logística do Estado

9 DEZ 2008 - 14h:11Por Redação

A pesquisa “Levantamento de Estrutura para Escoamento da Produção”, realizada pelo IEL/MS (Instituto Euvaldo Lodi do Estado) a pedido do Coinfra (Conselho Temático de Infra-Estrutura) e da Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul ), identificou o perfil da estrutura logística de transporte de cargas, seus principais problemas e os impactos nas indústrias estaduais. O resultado será apresentado nesta terça-feira (09) durante a segunda reunião do Fórum Permanente de Logística do Estado, que será realizado, a partir das 14 horas, no auditório do Centro de Convenções e Exposições Albano Franco, em Campo Grande.

Realizada com 95 empresas de 16 municípios do Estado, sendo 65 de Campo Grande (68,42%) e outras 30 de 15 municípios do interior, a pesquisa apontou que a maioria das empresas pesquisadas (33,68%) é formada por microempresas e 25,26% por empresas de pequeno porte, totalizando 58,94%, enquanto as médias e grandes somam 41,05% do total pesquisado. A maior concentração de empresas pesquisadas está nas atividades de indústrias de alimentos, indústria metalúrgica, indústria de máquinas e equipamentos, indústria de produtos químicos e fabricação e beneficiamento de madeira e móveis.

Das empresas que responderam a pesquisa somente 23,91% vendem seus produtos para outro País e 56,52% vendem seus produtos em Mato Grosso do Sul e para outros Estados do Brasil, enquanto os 19,57% restantes fazem somente vendas locais. Entre as empresas pesquisadas, 92% utilizam o transporte rodoviário e a média de utilização para as cargas é de 96,10%.

OUTROS TRANSPORTES

Quanto ao transporte ferroviário, somente 1% das empresas pesquisadas o utiliza e a média de utilização é de 25%. Já o transporte aquaviário, que engloba o fluvial e o marítimo, é utilizado por 6% das empresas pesquisadas e a média de utilização é de 43,5%, sendo que somente no caso do transporte aéreo 11% das empresas declaram que o utilizam, porém, a média de utilização é de 24,82%, cabendo citar que apenas 7% das empresas pesquisadas utilizam o modal aéreo para exportação.

Com relação aos problemas do transporte rodoviário de cargas no Estado, a pesquisa apontou que 30,21% das indústrias ouvidas consideram o alto valor do frete como principal entrave. Em segundo lugar na dificuldade no transporte de carga aparecem as más condições das estradas e rodovias e, por último, o tempo elevado gasto com o transporte da carga até o destino final

Já a maior dificuldade na utilização de terminais aeroportuários para o transporte de cargas no Estado apontada pelas indústrias na pesquisa é o alto custo das tarifas aéreas. Também aparecem as outras dificuldades como tipo de produto inviável para o transporte aéreo, impostos, volume de carga excessiva, empresas não flexíveis. Além disso, as empresas entrevistadas desconhecem a estrutura existente no aeroporto da Capital e dificuldades técnicas.

DIVULGAÇÃO

De acordo com o presidente do Coinfra, Kleber Recalde, os dados completos da pesquisa serão apresentados nesta terça-feira (9). “Queremos discutir todos os elos da cadeia produtiva para melhorar e potencializar essa infra-estrutura reduzindo custos e tornando as nossas indústrias mais competitivas”, explicou, completando que, por conta da infra-estrutura restrita que o Estado tem hoje, a movimentação de cargas se torna o grande gargalo para as indústrias.

Segundo ele, para levantar essa demanda foi realizada a pesquisa para conhecer o perfil das indústrias de todo o Estado. “Procuramos saber o porte destas indústrias, o volume de importações e exportações entre outros dados. Com base nestas informações, vamos distribuir todas as modalidades e os gargalos que impedem a melhoria da expansão industrial, com isso poderemos mensurar melhor os investimentos”, ressaltou.

Também durante a reunião desta terça-feira será discutido o tema “Implantação de políticas públicas e privada em Infra-Estrutura”, com o Assessor Especial da Infraero, Valdeci Arcanjo Novaes. Ainda fará parte das discussões “A importância da Rota Inter-Oceânica para o Estado de Mato Grosso do Sul”, apresentada pelo secretário de Desenvolvimento Industrial e Econômico de Corumbá, Fermiano Yarzon, sendo que o superintendente-regional do Sudeste da Infraero, Reinaldo João Souza, estará presente.

Serviço - O endereço do Centro de Convenções e Exposições Albano Franco fica na Avenida Mato Grosso, 5.017, no Bairro Carandá Bosque, em Campo Grande.
 

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13

Ver Todos os Programas da TVC
Dá Negócio
6864