Rádios On-line
ECONOMIA

Pesquisa aponta variação de até 109% nos preços de peixes comercializados

Pesquisa de preços de peixe foi realizada em 16 estabelecimentos de Campo Grande entre os dias 13 e 21 de março

29 MAR 2017 - 09h:14Por Redação

Uma pesquisa realizada pela Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon/MS) divulgada nesta terça-feira (28) mostra os preços de peixes consultados em 16 estabelecimentos comerciais da Capital.

A pesquisa feita em conjunto com a Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast) entre os dias 13 e 21 de março, completa pode ser acessada no site do Procon/MS (no item Pesquisas de Preços) ou conferida neste link.

A maior variação entre o pescado é de 109,33%, referente à sardinha inteira, com preços que vão de R$ 5,25 a R$ 10,99 o quilo. Foram pesquisados 39 itens entre peixes de água doce, salgada e diferentes tipos de bacalhau.

O levantamento inclui uma análise comparativa entre a pesquisa atual e a de 2016. Dentre os itens comparados, 18 tiveram aumento dos preços médios verificados no ano passado em relação a 2017, entre 0,70% e 43,69%. Por outro lado, 16 produtos tiveram redução no preço em até – 47,37%, como é o caso do bacalhau Saithe, que de R$ 49,78 está sendo comercializado, em média, por R$ 26,20, com o menor preço verificado de R$ 22,90.

O superintendente do Procon/MS, Marcelo Salomão, ressalta que a pesquisa inclui os principais tipos de peixes mais consumidos tradicionalmente pelos sul-mato-grossenses nesse período que antecede o feriado da Páscoa, que será celebrado em 2017 entre os dias 14 e 16 de abril. Segundo o superintendente, a previsão é publicar mais um levantamento dos preços de peixes, além da pesquisa dos ovos de Páscoa no início do próximo mês. O objetivo do levantamento é facilitar a pesquisa de preços e a análise do consumidor que pretende economizar.

Orientações do Procon

No caso dos pescados, o Procon orienta a verificar sempre se o peixe apresenta uma carne firme, olhos salientes e brilhantes, guelras avermelhadas e escamas que não soltam facilmente. Os pescados secos, como o bacalhau, não podem ter manchas úmidas ou avermelhadas, nem umidade, o que pode indicar presença de bactérias. Se o sal grosso estiver se desprendendo, isso pode significar que o bacalhau não está úmido. (Com Informações de Notícias MS) 

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13