Rádios On-line
PREOCUPANTE

Em Três Lagoas, 26 a cada 100 alunos da rede pública não foram aprovados

Dados saíram dos questionários aplicados pelo Inep durante a Prova Brasil 2015 e foram divulgados na última segunda-feira (20)

21 MAR 2017 - 09h:45Por Jonas Turolla

Vinte e seis a cada 100 estudantes nos anos finais (6º o 9º ano) da rede pública não foram aprovados em Três Lagoas, no ano escolar de 2015, segundo o relatório bienal elaborado pela QEdu, instituição voltada à análise da educação no país. Os dados saíram dos questionários aplicados pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) durante a Prova Brasil 2015 e foram divulgados na última segunda-feira (20).

A Prova Brasil é aplicada uma vez a cada dois anos em escolas públicas urbanas e rurais do Brasil. Ela é usada para compor a nota do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica). Dentre os números divulgados, chama a atenção também o decrescente fluxo escolar de alunos do 9º ano nas escolas municipais de Três Lagoas. Para se ter uma ideia, de 2007 pra cá, a taxa de aprovação de estudantes do último ano do ensino fundamental caiu de 91% para 71%. 

O JP News publicará, ao longo da semana, uma série de reportagens sobre a qualidade do ensino em Três Lagoas.

Quanto ao aprendizado dos alunos, a situação do município preocupa. De acordo com o levantamento, apenas 13% dos alunos do 9º ano das escolas municipais de Três Lagoas aprenderam o adequado em matemática, em 2015. Em português, o desempenho da rede municipal de ensino foi um pouco melhor, mas ainda assusta. Ao todo, 23% dos alunos do 9º ano conseguiram assimilar o conteúdo previsto para aquele ano escolar. 

Já em relação aos estudantes do 5º ano, os números são mais 'animadores': 46% aprenderam matemática e 59% português. "A gente pode atribuir (esses índices) à dificuldade financeira, estrutura familiar, estrutura física das escolas, formação dos professores... são várias questões. Infelizmente, Três Lagoas ainda tem uma cultura da reprovação. O MEC entende que nós não investimos na aprendizagem dos alunos. Vamos valorizar os professores para que a gente modifique esses resultados", afirmou a diretora educacional e pedagógica da Secretaria de Educação e Cultura de Três Lagoas, Ângela Maria de Brito.

*Atualizada as 10h57, do dia 22/03, para acréscimo de informações

Deixe seu Comentário