Rádios On-line
7866
ABSOLUTA AUTOMOVEIS

Ensino do município atinge meta, mas não consegue acompanhar Estado

Melhor resultado foi conquistado do 1º ao 5º ano, com média de 4,8. A meta proposta pelo Ideb era de 4,5

16 AGO 2012 - 09h:29Por Danilo Fiuza

 O ensino público três-lagoense atingiu, na média geral, as metas propostas pelo Índice de Desenvolvimento da Educação Brasileira (Ideb). Conforme resultado do estudo elaborado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), divulgados ontem, na média geral, o ensino de Três Lagoas atingiu a média de 4,8 no 5º ano (antiga 4ª série) e 3,3 no 9º ano (8ª série). O resultado foi suficiente para atingir a meta proposta pelo Ideb - 4,5 para ensino básico e 3,3 para ensino fundamental - mas não foi o suficiente para acompanhar o desempenho do Estado. No geral, Mato Grosso do Sul registrou 5,1 até o 5º ano; 4,0 até o 9º ano e 3,9 no ensino médio. Os resultados do ensino médio não foram fornecidos para cidades do interior. A média da educação básica do Brasil foi de 5,0.

O Ideb é calculado a partir da taxa de aprovação e do desempenho dos alunos na Prova Brasil, avaliação aplicada pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) a cada dois anos. A nota tem escala de 0 a 10, e o País, ficou com nota 5. O resultado de 2011 supera a meta estabelecida: 4,6 pontos. Também é 0,4 ponto superior ao verificado em 2009.

REME

Ainda, segundo o estudo, na rede municipal de ensino, a média de Três Lagoas foi de 4,7 até o 5º ano - 0,1 a mais que a meta proposta pelo Ideb e 0,5 a mais se comparado ao exame de 2009, quando as escolas tiveram desempenho de 4,2, mas insuficiente para acompanhar a média nacional. Pelo estudo, a rede municipal tem conseguindo atingir as metas todos os anos desde que o estudo foi iniciado. Para 2013, a meta é de 4,9.

Já no término do ensino fundamental, até o 9º ano, a média ficou abaixo do estipulado. Em 2011, as escolas municipais, tiveram média de 3,4 (0,1 a menos se comparado a 2009 e 0,3 pontos abaixo da meta para 2011). O ano de 2009 foi o único em que a cidade atingiu a meta estipulada na série histórica.

Entre as escolas municipais, destaca-se a Joaquim Marques de Souza, com o melhor desempenho no município: 5,4 pontos e um salto de 0,7 pontos em dois anos. Além dela, também se destacaram: Presidente Médici, com 5,3 pontos (0,6 pontos a mais que a meta estipulada e superior à média nacional) e Maria Eulália Vieira, também com 5,3 pontos. Além disso, também ficaram acima da média nacional a escola Olyntho Mancini, com média 5,0 em 2011 e um avanço de 1,2 pontos em dois anos (em 2009, a média foi de 3,8); Professor Ramez Tebet, média 5,1 (0,8 a mais que a meta estipulada), e Filinto Müller, com 5,0 pontos. A escola municipal rural Antônio Camargo, com 4,6 pontos em 2011, obteve 1,4 a mais se comparado ao resultado de 2009. Nessa etapa da reportagem, foram contabilizadas apenas as notas obtidas até o 5º ano do ensino fundamental.

ESTADUAL

Já na rede estadual de ensino, o índice geral do ensino básico (até o 5º ano) foi superior ao da rede municipal. Em 2011, as escolas atingiram a média de 5,0 pontos (0,3 a mais que a meta estabelecida). A meta foi cumprida em todos os anos da série histórica. Entretanto, houve queda no ensino fundamental (até 9º ano) de 3,4 pontos em 2009 para 3,2, em 2011. O índice ficou 0,2 abaixo da média do município e 0,1 abaixo da meta estipulada pelo instituto.

Já na avaliação individual, uma das escolas em destaque foi, por mais um ano, o Fernando Corrêa, com 5,9 pontos no fundamental um (0,9 a mais que a média nacional e que a média do município) e 4,4 na avaliação até o 9º ano (0,4 a mais que a meta estipulada). Também atingiram as metas estipuladas pelo Ideb nas duas fases educacionais avaliadas, as escolas Afonso Pena, com notas 4,8 (5º ano) e 3,3 (9º ano); Bom Jesus, com notas no 5º e 9º ano de 4,4 e 3,3, respectivamente, e João Dantas Filgueiras, com 4,0 até 5º ano e 3,0 no fim do ensino fundamental.

IDEB

Iniciada em 2005, a avaliação do ensino brasileiro é feito a cada dois anos. Conforme informações do Ideb, o objetivo do estudo é fomentar a melhoria da qualidade do ensino para que o país atinja a nota 6 para as séries iniciais do ensino fundamental até 2022, no bicentenário da Independência.

Em 2005, o Ideb aferido para os anos iniciais foi 3,8. Em 2007, subiu para 4,2, em 2009, para 4,6, e agora chegou aos 5 pontos. Em todas as edições, as médias nacionais superaram as metas estabelecidas para o período. A lista completa da avaliação das escolas está disponível pelo portal do Inep (www.portal.inep.gov.br).

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13

Ver Todos os Programas da TVC
7201