Rádios On-line

Rede Estadual de Educação receberá R$ 21 milhões para aquisição de tablets, ônibus e conjuntos escol

O Valor corresponde a aquisição de 15 mil tablets de 9,7 polegadas, mais 50 novos ônibus escolares e 26,1 mil conjuntos escolares

7 MAI 2013 - 15h:35Por Redação

A Rede Estadual de Educação de Mato Grosso do Sul vai receber este ano investimentos de R$ 21 milhões do Ministério da Educação (MEC). O Valor corresponde a aquisição de 15 mil tablets de 9,7 polegadas, mais 50 novos ônibus escolares e 26,1 mil conjuntos escolares.

De acordo com a secretária de Estado de Educação, Nilene Badeca, os tablets serão assegurados por meio do Plano de Metas da pasta, o Plano de Ações Articuladas (PAR), e dependem ainda de licitação. Badeca que também é presidente do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) acompanhou o governador André Puccinelli na reunião com o ministro da Educação Aloízio Mercadante, em Brasília, no final da tarde desta segunda-feira (6), quando foram assegurados estes investimentos.

O MEC informou no ano passado que o valor de cada um destes tabletes saiu por R$ 461,99 para atender a região Centro-Oeste, mas Nilene Badeca disse que o valor pode sofrer variações este ano. Considerando-se o preço da licitação do ano passado serão investidos R$ 6,9 milhões.

Também estão assegurados mais 50 ônibus escolares, investimentos que totalizam cerca de R$ 12 milhões. Na semana passada a presidente Dilma Roussef fez a entrega de 50 veículos, em solenidade realizada em Campo Grande. Também foram prometidos mais 219 ônibus.

Outro compromisso do ministro é com a entrega de 26,1 mil conjuntos escolares que representam investimento próximo dos R$ 4 milhões. A secretária reforçou que “são para esse ano, sim”, ao ser indagada sobre o prazo para estes materiais chegarem ao Estado.

Piso
Outro assunto da reunião foi o piso nacional dos professores. Puccinelli defendeu a proposta que foi discutida em Campo Grande, pela qual o piso de R$ 1.567,00 deve ter um reajuste de 8%. “Fizemos um acordo no Estado, agora estamos propondo este acordo ao Brasil: que o piso seja reajustado pelo Índice Nacional de Preço ao Consumidor (INPC) mais metade da variação real do custo Fundeb [Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação]. Isso representa reajuste em torno de 8%”, enfatizou Puccinelli, após a reunião com o ministro, explicando que se a proposta que tramita no Congresso Nacional não for aprovada, o reajuste poderia chegar ser entre 20% e 22%, porém várias prefeituras não teriam condições de arcar com este custo, por isso sua preocupação em buscar um índice que não inviabilize as gestões municipais.

Obras
O governador afirmou que na reunião que teve com o vice-presidente da República, Michel Temer, também na tarde de segunda-feira discutiu apenas sobre os trâmites administrativos do empréstimo de R$ 1,2 bilhão para obras de infraestrutura no Estado.
 
“Temer me chamou pra ver a questão determinada pela presidente da República [Dilma Rousseff] sobre o empréstimo. Disse que o BNDES é uma linha de crédito e que o Pró-Investe é outra linha de crédito. Expliquei em quais estágios está um e em qual esta a outra. Ele quer nos  ajudar e disse que vai atuar”, destacou Puccinelli, concluindo que “a presidente fiou muito satisfeita com a visita a Mato Grosso do Sul”.

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13