Rádios On-line

Fornecedores do Misto ficam com dívidas e vão à polícia

Três prestadores de serviço contratados por Fábio Henrique da Silva, da FHS Engenharia para o Misto também registraram B.O contra o empresário

23 JAN 2016 - 15h:06Por Ariane Pontes

A empresária Sayuri Baez alugou um condomínio com cinco casas completamente mobiliadas, uma casa com três quartos e piscina, e comprou uma van para transportar a equipe. Ela disse que recebeu R$ 2,5 mil de entrada e possui um contrato de um ano com a empresa de Fábio Silva no valor de R$ 20 mil por mês.
“Acreditei na idoneidade desse homem e no projeto do Misto. Mobiliei as casas, comprei uma van porque foi uma exigência dele para fecharmos o contrato, e agora saio no prejuízo”, lamentou. 
Donos do Novo Hotel e Restaurante Araguaia, Thiago Vieira e Sirlene Jesus estimam que a dívida da FHS com as empresas é de R$ 13 mil com cada empresa. “Eram 84 refeições diárias. Ele ‘me enrolou’ na hora de elaborarmos um contrato; falou que voltava nesta segunda-feira, dia 18, me pagava e já assinava o contrato. Confiei e deu nisso. Vou atrás dos meus direitos”, revelou Sirlene, irritada.
Thiago disse que o empresário pagou quatro diárias, de 26 pessoas que estavam no hotel, e o restante referente a outros seis dias estão em aberto. “Mesmo sem receber, deixei os jogadores ficarem por um tempo porque sei que não são daqui e foram enganados como eu fui. Mas, não posso ficar tomando prejuízo”, disse. 
O vice-presidente do Misto, Sávio Bernardes, disse ontem à reportagem que desconhecia os problemas. “Estava viajando”, afirmou. 
Jamiro Rodrigues disse durante viagem a Campo Grande que possui time montado para a estreia no campeonato estadual da série A, dia 13, contra o Novoperário, na capital. “Está pronto”, disse. Um time formado basicamente por jogadores da cidade treinou à tarde no campo do bairro Santo André. 
A reportagem procurou Fábio Silva por telefone. O empresário não foi localizado.

Deixe seu Comentário