Rádios On-line

Sindicato dos atletas diz que Misto tem responsabilidade por jogadores

De acordo com sindicato dos jogadores, Carcará da Fronteira tem responsabilidade sim, em partes, pelo episódio com jogadores que ficaram desalojados

28 JAN 2016 - 16h:56Por Ariane Pontes

O Sindicato dos Atletas de Futebol do Estado do Mato Grosso do Sul (Safems), por meio do Departamento jurídico disse que o Misto Esporte Clube tem relação sim, com o episódio que envolveu os jogadores e, o até então patrocinador da equipe, a FHC Engenharia que pertence a Fábio Henrique da Silva.

Jogadores e comissão técnica foram despejados e ficaram sem alimentação, depois que as empresas contratadas pela FHS encerraram a prestação de serviço por falta de pagamento. Todos os envolvidos foram até a delegacia para denunciar o episódio.

De acordo com Luís Fernando Ortiz, advogado do Sindicato, o Carcará da Fronteira deve fiscalizar melhor quem ele dá poderes para contratar em seu nome. E mesmo que os jogadores não tenham contratos assinados com o time vieram para cidade por causa da equipe.

O advogado disse que mediante ao ocorrido cabe uma ação contra o patrocinador e o Misto. E o clube deve tomar as providencias cabíveis contra Fábio Henrique.

“Vamos procurar todos os jogadores envolvidos e oferecer uma assessoria jurídica aos que estão com contratos vigentes no estado”, ressaltou Ortiz.

O presidente do Misto, Jamiro Rodrigues disse que Fábio sumiu, nunca mais apareceu. Ele esteve no endereço que consta no CNPJ da empresa, mas no local a uma borracharia e um salão, e nada relacionado à engenharia.

FORA DO COMUM

Conforme a Safems já aconteceu no estado casos de calote semelhante ao do Misto, porém não tão grave como o do Carcará da Fronteira.

“Geralmente esses problemas são registrados no fim da temporada, em times que são eliminados e não quitam suas pendências. Em Três Lagoas foi atípico, antes mesmo da estreia da equipe”, explicou o advogado.

 

Deixe seu Comentário