Rádios On-line
8650
SESI Matrículas
CIDADE

Crescimento de Três Lagoas

O município que mais cresce em Mato Grosso do Sul completou 102 anos.

3 AGO 2017 - 16h:06Por Ana Cristina

O município que mais cresce em Mato Grosso do Sul completou 102 anos. Em que pese os vários problemas de uma cidade em franco desenvolvimento, motivos para comemorar não faltam em Três Lagoas. Um deles é a arrecadação municipal, que aumentou 440% em 11 anos. Em 2006, quando a ex-prefeita Simone Tebet, (PMDB), assumiu a prefeitura, a cidade tinha arrecadação de R$ 88,5 milhões. Em 2015, a prefeitura arrecadou R$ 395 milhões. Em 2016, o orçamento foi de R$ 476,5 milhões, segundo dados do Portal da Transparência. 
A previsão orçamentária para 2016 era de R$ 432 milhões, no entanto, o município arrecadou R$ 44 milhões a mais do que o previsto. Com base na arrecadação do ano passado, a média mensal foi de quase R$ 40 milhões, o equivalente a R$ 1,3 milhão por dia.
Para 2017, a previsão é de que sejam arrecadados R$ 454 milhões, e para 2018, R$ 475 milhões. O montante representa R$ 21 milhões a mais do valor previsto para este ano.  Segundo o secretário municipal de Finanças e Controle, Cassiano Maia, houve um superávit em 2016. O montante arrecadado a mais em relação ao previsto, de acordo com Cassiano, é fruto de pagamento de indenizações mitigatórias. Para 2018, pode ser que ocorra ou não um incremento na receita.


POPULAÇÃO

A população também cresceu significativamente nos últimos anos. A partir do desenvolvimento industrial, iniciado em 2007 com a chegada das fábricas de celulose e papel, o município passou a receber um número maior de moradores. Em 2007, a cidade tinha 85.914 habitantes. Atualmente são 115.561 habitantes, segundo estimativas de população do IBGE, divulgadas em julho do ano passado. Em 2013, Três Lagoas passou para a terceira posição no Estado em população, atrás da capital Campo Grande e de Dourados, e à frente de Corumbá.
Em um cenário futurista, conforme projeção feita pela equipe que realizou um estudo no ano passado que culminou na elaboração do Plano de Ação Três Lagoas Sustentável, a população do município deve ter um incremento de 151% em 2030, com um acréscimo de 52.152 novos habitantes, comparado com dados oficiais de 2010 do IBGE.
Já em um cenário temporal para 2050, o incremento populacional seria de 203%, em relação a 2010, com o acréscimo de 105.340 novos habitantes. A cidade poderá dobrar sua população em 35 anos.
Segundo a projeção, até 2030, Três Lagoas terá 163.776 habitantes e 53.837 domicílios, com aproximadamente 3,09 habitantes por domicílio. Já em 2050, pode saltar para 227.331 moradores e 81.495 domicílios, com cerca de 2,7 habitantes por residência.


INDUSTRIALIZAÇÃO


 O crescimento industrial é significativo. Segundo a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, o processo industrial começou bem antes da instalação da cadeia produtiva de papel e celulose, em 1998, com a instalação da fábrica de biscoitos Mabel. 
 Nessa primeira década de industrialização, segundo dados da secretaria, a cidade tinha dez empresas de médio e grande porte. A partir de 2004, o município passou a receber mais empresas e, atualmente tem 62 indústrias. Três Lagoas possui atualmente 10.471 empresas em funcionamento, segundo dados da Junta Comercial do Mato Grosso do Sul. Em 2014, eram 7,8 mil.

PIB

A industrialização também proporcionou o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB). Em 2004, por exemplo, o PIB - que é a soma total das riquezas - era de R$ 983,1 milhões. Em 2010, segundo levantamento do Núcleo de Pesquisas Econômicas de Três Lagoas (NPE/TL), da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, saltou para R$ 3,9 bilhões, ocupando a terceira posição no Estado.
Em 2016, o PIB de Três Lagoas atingiu R$ 8,7 bilhões, acumulando, em seis anos, o crescimento de 123%, ocupando a segundo posição no Estado, através apenas de Campo Grande. 


EXPORTAÇÕES

As exportações também apresentaram crescimento significativo. A dinâmica do comércio exterior três-lagoense nos últimos 10 anos apresentou importantes mudanças, com grande impacto sobre o volume e cifras das importações e exportações, déficits e superávits da balança comercial e diversificação das principais parceiras comerciais.
De acordo com levantamento do Núcleo de Pesquisas Econômicas da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, o período 2000-2015, deixa evidente essa transição da estrutura produtiva alicerçada na exportação. 
Entre os anos 2004-2008, a balança comercial três-lagoense foi deficitária, com médias anuais de 35 milhões de dólares. Em 2009, ano de start up da unidade industrial da Fibria, as exportações saltaram 2.106% em relação ao ano anterior, com US$ 347 milhões negociados.
Em 2017, a balança comercial voltou a ter superávit, no entanto, houve uma queda de 94,7% no saldo no comparativo com 2016. Isso se deve a queda das exportações consolidadas em US$ 350.8 milhões, com média de US$ 87 milhões/mês- cerca de 13% menores que em 2016- e aumento de 105% das importações que fecharam em UU$ 185.8 milhões, com média de UU$ 46.4 milhões/mês.

EMPREGO

 Nos últimos anos, Três Lagoas teve um aumento significativo no índice de geração de emprego e renda, conforme revelou estudo realizado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), criado para analisar o Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM). Em 2005, por exemplo, a pontuação municipal era de 0,7468 e, em 2013 o resultado foi de 0,8955. 
Após a instalação das fábricas de celulose, Três Lagoas liderou por vários meses nos últimos anos a geração de empregos formais no Estado, e se destacou também entre os municípios do Brasil com maior índice de contratações em determinado período.
 

m 2016, por exemplo, Três Lagoas foi a cidade do país que mais gerou empregos formais, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do  Ministério do Trabalho e Emprego.  No acumulado de janeiro a dezembro de 2016, foram 3.506 novos postos de trabalho em Três Lagoas, seguido de Campo Redondo (RN) com 1.990 e Juazeiro (BA), com 1.956. O saldo positivo na geração de empregos no último ano é fruto do projeto de expansão da fábrica de celulose.


VEÍCULOS

A frota de Três Lagoas vem acompanhando o crescimento econômico, industrial e populacional da cidade que, praticamente tem um carro para cada habitante. A frota alcançou um crescimento de 36,68% no período de 2010 a 2016. O percentual equivale a 28.970 veículos no período, e um crescimento anual de 4.829 automóveis. A taxa de crescimento anual de veículos na cidade é de 6,11%.
Três Lagoas encerrou 2016, com 78,9 mil veículos cadastrados no Departamento Estadual de Trânsito (Detran/MS). Neste ano, até o mês de maio, segundo dados do Departamento Nacional de Trânsito, o município já contabilizava 80.658 veículos.
Analisando o crescimento do período e fazendo uma comparação com a população de 115 mil habitantes, é possível chegar a uma estimativa de 1,43 pessoas para cada carro- praticamente um veículo para cada habitante. 
De acordo com o diretor do Departamento de Trânsito, Flávio Thomé, Três Lagoas tem ainda uma frota flutuante estimada em dez mil veículos. 

 

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13

Ver Todos os Programas da TVC
Dá Negócio
6864