Rádios On-line
SAúDE

Mais 100 anos

Hospital Auxiliadora prepara celebração do centenário

16 AGO 2017 - 09h:10Por Carlos Alberto

O Hospital Nossa Senhora Auxiliadora vai completar ano que vem 100 anos de fundação e de atuação ininterrupta na Costa Leste. As celebrações alusivas ao centenário da entidade já começaram e uma das primeiras ações foi o lançamento do “Selo do Centenário”, um projeto que pretende envolver a sociedade, empresários, políticos e a população. O Selo simboliza ainda as evoluções, conquistas, acolhimento e humanização durante essa missão que foi assumida pelas Irmãs Salesianas.
A história do Hospital Auxiliadora é repleta de bons exemplos e os principais acontecimentos do primeiro centenário mostram a narrativa de uma série de desafios, problemas e dificuldades superadas e também de notáveis conquistas. Tudo começou lá em 1919, quando um grupo de pessoas da sociedade de Três Lagoas construiu um pequeno hospital que tinha por objetivo oferecer atendimento a população de uma cidade que dava seus primeiros passos de emancipação político-administrativa. Fato que ocorreu quatro anos antes, em 15 de junho de 1915.
Essa corajosa e visionária iniciativa foi prestigiada pelo então governador do estado de Mato Grosso e bispo Arquidiocesano de Cuiabá, Dom Francisco de Aquino Corrêa, que fez questão de se deslocar da antiga capital de Mato Grosso para Três Lagoas. Ele presidiu solenidade de inauguração do novo hospital.
Já nos primeiros anos de funcionamento e de atendimento à população, em julho de 1927, foi criada a Fundação da Associação Beneficente do Hospital Nossa Senhora Auxiliadora, com a preocupação e objetivo de assegurar a continuidade dos fins filantrópicos a que se propuseram os seus idealizadores e membros da comunidade. 

A primeira grande crise que causou até o fechamento temporário do Hospital Auxiliadora, causada por ímpasses políticos e dificuldades financeiras, aconteceu em 1928, quando, então, a sociedade três-lagoense, mais uma vez, se mobilizou para dar continuidade a uma obra que não poderia terminar e que já se mostrava insubstituível e primordial para a saúde e qualidade de vida da população.
Assim, em 1929, sensibilizados com a mobilização da população, os vereadores aprovaram a transferência de gestão e de responsabilidade administrativa do Hospital Auxiliadora para a Diocese de Corumbá. A aprovação desta doação, com a anuência do bispo da época, Dom Antônio de Almeida Lustrosa, da Diocese de Corumbá, se baseava na certeza de que a Igreja Católica encontraria saídas para a solução da crise política e financeira que provocou o fechamento provisório da instituição de saúde.
A primeira medida de Dom Antônio Lustrosa foi convocar as Irmãs Salesianas da Congregação Filhas de Maria Auxiliadora para assumirem a direção do Hospital, o que ocorreu em meados de agosto de 1929. Dessa época até os dias de hoje, a entidade mantenedora da Sociedade Beneficente do Hospital Nossa Senhora Auxiliadora tem sido a Congregação Religiosa das Filhas de Maria Auxiliadora.  
Hoje, a diretora geral do hospital é a irmã religiosa, Aurélia Brioschi. Ela sucedeu a irmã Norma Aparecida Romancini, que, por muitos anos, esteve a frente da direção geral do Auxiliadora.
Atualmente, a Madre Superiora Geral das Filhas de Maria Auxiliadora é a irmã Yvonne Reungoat, que esteve emN Três Lagoas em 2013, visitou o Hospital e destacou a importância do trabalho das religiosas na condução de entidades ligadas à área da saúde nos cinco continentes.

Hospital é referência regional de atendimento

Nas últimas décadas, com a crescente e acentuada liderança de Três Lagoas na Costa Leste, com o aumento populacional e desenvolvimento industrial, o Hospital Auxiliadora passou a assumir também sua importante função de referência no atendimento regional à saúde. 
O Hospital é uma importante referência no bolsão sul-mato-grossense e atende uma  população de dez municípios estimada em mais de 300 mil pessoas que vivem nos municípios de Água Clara, Aparecida do Taboado, Bataguassu, Brasilândia, Cassilândia, Inocência, Paranaíba, Santa Rita do Pardo, Selvíria e Três Lagoas.
Há 98 anos, a entidade filantrópica de direito privado conserva a missão de oferecer a todos os pacientes ações integradas de saúde com excelência e qualidade. As sucessivas gestões de modernização garantiram a continuidade de um atendimento humanizado e inovador.
Os esforços, a participação da sociedade, o empenho dos funcionários e as contribuições têm ajudado no melhoramento do nível de satisfação dos pacientes que são atendidos no Hospital Auxiliadora, hoje, reconhecido como o melhor centro filantrópico de assistência à saúde do estado de Mato Grosso do Sul nas especialidades de oncologia, ortopedia, ginecologia e obstetrícia. “Somos hoje um centro de atendimento integrado a um avançado Centro de Diagnóstico por Imagem com estrutura modernizada, tecnologia de ponta e profissionais altamente qualificados e comprometidos. Nossa missão é promover ações que gerem a satisfação dos pacientes que buscam nosso hospital”, destaca a atual administração, gerenciada pelo diretor administrativo, Ede Carlos dos Santos.
O Hospital Auxiliadora atende às seguintes especialidades médicas: Anestesiologia, Cirurgia Buco Maxilo, Cardiologia, Cirurgia Geral, Cirurgia Vascular, Clínica Médica, Fisioterapia, Gastroenterologia, Ginecologia e Obstetrícia, Nefrologia, Neurocirurgia, Neurologia, Oncologia Clínica e Cirúrgica, Ortopedia e Traumatologia, Otorrinolaringologia, Pediatria, Pneumologia, Radiologia e Urologia.

Auxiliadora conquista Medalha de Ouro de Qualidade Hospitalar

Colocando em prática modernos procedimentos de gestão, rotinas de assistência e administração bem definidas e organização, o Hospital Auxiliadora foi reconhecido pela segunda vez, através do programa de Compromisso com a Qualidade Hospitalar (CQH), com  distinção ao receber a Medalha de Ouro de Qualidade. 
Os resultados alcançados e o reconhecimento obtido se deve a execução de  exigências previstas nas últimas contratualizações de convênios de parcerias do Auxiliadora com a Secretaria de Estado da Saúde, através da  Secretaria Municipal de Saúde de Três Lagoas para prestação de serviços de convênio com o SUS – Sistema Único de Saúde.
Visando melhorar substancialmente os seus serviços, o Auxiliadora buscou incessantemente alcançar níveis de excelência no atendimento e resultados. Hoje o Hospital Auxiliadora trabalha na busca de alcançar a certificação  da Organização Nacional de Acreditação (ONA), para “buscar a melhoria constante de processos na organização, o que pode levar os níveis de excelência no atendimento, melhores resultados assistenciais, além de uma  gestão mais eficiente dos recursos que dispõe e na melhoria da qualidade no atendimento aos pacientes”, como explica Ede Carlos.

Novos desafios, projetos realizados e outros em andamento

O modelo de gestão compartilhada de um convênio de parcerias entre a  Prefeitura de Três Lagoas e a direção do Hospital Auxiliadora tem resultado satisfatoriamente, possibilitando visualizar benefícios e conquistar o apoio e solidariedade dos mais variados segmentos da comunidade três-lagoense.
Essa participação comunitária está possibilitando a obtenção de resultados altamente satisfatórios na execução do projeto Auxiliadores do Bem. Pessoas voluntárias atuam de forma humanizada e acolhedora organizando eventos para captação de recurso, visitam pacientes e estimulam o crescimento da participação voluntária das pessoas. 
A comunidade sempre acreditou no trabalho do Hospital Auxiliadora. Nas campanhas realizadas pela Instituição nas ações de busca e captação de recursos na cidade, o envolvimento da população sempre contribuiu para a continuidade de ações que proporcionem instalações mais acolhedoras e cada vez mais humanizadas aos pacientes. 
O Conselho Consultivo, formado por membros da sociedade, tem acesso a todas as informações e dados da Instituição e junto com a administração, apoiam e incentivam  o início de novos projetos para a melhoria do Auxiliadora.

A transparência do Hospital é visível, pois existe uma constante prestação de contas com membros da Prefeitura, Promotoria de Justiça e o Conselho Municipal de Saúde. 
Um setor denominado Célula de Captação de Recursos está sendo criado para apresentar constantemente prestação de contas dos recursos aplicados para atendimento através do SUS, assim como de outras campanhas desenvolvidas pelo Hospital, como o Cofrinho Solidário, Boleto Solidário, Jantares Beneficentes e ações em outros municípios assistidos pelo Auxiliadora.
Esse aperfeiçoamento de gestão participativa e solidária tem obtido resultados que se refletem em números. Em 2015, o Auxiliadora registrou 12.074 internações hospitalares, via SUS, convênios e atendimento particular e realizou 6.092 cirurgias.  Em 2016, foram efetuadas 10.231 internações e foram realizadas 5.323 cirurgias.
Até março deste ano (2017), foram realizadas 2.620 internações hospitalares e foram realizadas 1.420 cirurgias .
Nos últimos quatro anos, foram concluídos e entregues projetos que melhoraram a qualidade e eficiência dos serviços hospitalares, entre eles, o Ambulatório de Especialidades Médicas, Pronto Atendimento de Convênios, Pronto Socorro, Unidade Laura Vicuña, revitalização Centro de Diagnóstico por Imagem, Internação e Ambulatório Oncológico.
Com recursos provenientes de convênios de parceria com os governos Federal e Estadual, através de Emendas Parlamentares aos Orçamentos do Município e do Estado e de campanhas e promoções junto a comunidade , o Hospital Auxiliadora adquiriu nos últimos anos um aparelho móvel de  Raio-X no valor de R$ 89 mil, carro de anestesia, que custou  R$ 49,65 mil, um arco cirúrgico por R$ 231,5 mil, um aparelho de ressonância magnética, no valor de R$ 2,640 milhões, aparelho de ultrassom, a um custo de R$ 100 mil,  uma incubadora no valor de R$ 27,5 mil, um foco cirúrgico por R$ 38,075 mil, um ventilador pulmonar, por R$ 114,926 mil, um Vídeo duodenoscópio no valor de R$ 61,191 mil e uma nova mesa cirúrgica que custou R$ 36 mil.
Em execução estão os seguintes projetos de ampliação, reforma e melhoria nas instalações da pediatria, prédio administrativo, maternidade e no prédio da Unidade 01. A direção e gestão compartilhada do Hospital Auxiliadora também estudam a viabilidade de execução para implantação do Centro Avançado de Hemodiálise, de um novo e moderno vestiário que proporcionará melhoria no conforto dos seus colaboradores, além da  ampliação do número de leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

 


 

 

Deixe seu Comentário