Rádios On-line
DERMATOLOGISTA

Manchas que incomodam

Doença crônica que acomete - e incomoda - as mulheres, o melasma é comum em cidades quentes, como Três Lagoas

19 JUL 2017 - 10h:40Por Jonas Turolla

“Em uma cidade quente, como Três Lagoas, é bem mais comum”. Foi o que afirmou doutora Flávia Gomes Machado sobre o melasma, doença que acomete - e incomoda - muito mais as mulheres. Segundo ela, que deu mais detalhes sobre essas manchas, a falta de proteção dos raios solares é a principal causa do melasma.

“Melasma é uma dermatose, uma doença na pele. A pessoa, às vezes, não tem costume de usar protetor solar, de se proteger corretamente do sol, e isso acaba acarretando nessas manchas escuras na pele”, explicou. “É uma doença crônica, mas que não acarreta risco à saúde. É mais uma condição estética porque as manchas acabam incomodando a pessoa esteticamente”, completou.

Ainda de acordo com a dermatologista, mulheres grávidas e, até mesmo, homens também estão sujeitos ao melasma. “Essas manchas escurecidas, que aparecem no rosto, podem acometer mulheres grávidas, por conta da mudança hormonal, mas existem vários procedimentos estéticos para a melhora deste melasma. Vale destacar também que, apesar de se manifestar com mais frequência em mulheres, a doença também pode acometer os homens. São manchas com as bordas irregulares e que, geralmente, aparecem abaixo do olho e na região supralabial”, destacou.

Em relação ao tratamento, os principais métodos envolvem o uso de cremes e de substâncias clareadoras. “O diagnóstico é feito clinicamente, não precisa de exames. A gente avalia o paciente e a disposição das manchas no rosto. Já o tratamento pode ser feito tanto com cremes, quanto com alguns procedimentos, como o microagulhamento. Este, por exemplo, consiste na utilização de um roller com agulhas, como por exemplo o ‘dermaroller’. Ele é feito na pele do rosto para induzir o clareamento dessa pele. Claro que, antes disso, tem um preparo com alguns cremes, com o protetor solar e com alguns antioxidantes orais também”, finalizou.

Dra. Flávia 
Gomes Machado

Natural de Cassilândia, Flávia se formou em 2013, no Centro Universitário Barão de Mauá, de Ribeirão Preto/SP, e fez dois anos de pós-graduação em Dermatologia e 1 ano de pós graduação em medicina estética em Sâo Paulo. Apaixonada pela área desde a época de faculdade, a dermatologista de 27 anos reconhece e valoriza a importância da sua profissão.

“Eu quis dermatologia desde que entrei na faculdade. Entrei querendo e acabei concluindo. Cuidando da pele é possível obter melhor qualidade de vida e evitar surgimento de doenças mais graves.

 

Deixe seu Comentário