Rádios On-line
ORTOPEDIA

Sabe aquela dor nas costas?

Ortopedista calcula que 70% dos pacientes de sua especialidade procuram ajuda porque sofrem com dores lombares.

11 ABR 2017 - 16h:43Por Beatriz Rodas

Setenta por cento das pessoas que procuram consultar-se com um ortopedista reclamam de dores nas costas. O cálculo foi feito pelo ortopedista Alexandre Marques Martins com base em pacientes que reclamam de dificuldades para realizar tarefas diárias e, principalmente, para o trabalho, em seu consultório, em Três Lagoas, durante entrevista esclarecedora sobre este mal que afeta milhões de pessoas ao redor do mundo e que causa prejuízo ainda maior a empresas às pessoas. 


“Posso afirmar, sem sombra de dúvidas, que 70% das pessoas que procuram uma consulta ortopédica é por causa de dor lombar - a famosa dor nas costas. Destes pacientes, 95% são de indicação de tratamento conservador e não carecem de tratamento cirúrgico”, diz o médico também com base em seus pacientes  e, igualmente, em situações enfrentadas por outros profissionais de sua especialidade.

SEM MÁGICA
Mas, a solução não parece tão simples. Há um complicador. “Muitas vezes, o paciente vem ao consultório em busca do ‘remédio milagroso’, e o que eu passo a eles é o seguinte: tomar remédio é tratar sintomas, não é tratar a causa da doença. Tratar a causa da doença está, principalmente, em melhorar a qualidade de vida”.


E aí entra o papel do médico versus as obrigações do paciente. 
Corrigir a postura, fazer um trabalho físico de fortalecimento muscular -  alongamento, por exemplo -, é uma das alternativas mais saudáveis. A melhoria da sua qualidade de vida vai fazer com que a pessoa tenha uma coluna mais estável - “um alicerce maior para um prédio”. 


E tudo isso sem se esquecer de regularidade e disciplina. Uma atividade física deve ser executada sob controle e dentro das possibilidades – e esforço – porque certamente dará bons resultados. Mas, se o paciente fizer algo “sem cuidado” vai acabar piorando a saúde mais do que tendo benefícios que poderiam contribuir com seu bem-estar e a busca por solução. Não por problemas.


“Ainda estamos, fisicamente, em um processo de evolução da coluna vertebral. E somos a única espécie de mamífero que anda em pé”, resume o especialista sobre os cuidados com a coluna cervical.
A OMS (Organização Mundial de Saúde) afirma que 85% da população mundial possui ao menos um tipo de dor lombar, geralmente causada pelo sedentarismo, má-postura, execução de trabalhos pesados ou por acidentes. Os demais 15% são decorrentes de enfermidades ou deformações.


TÚNEL DO CARPO
Se você nunca ouviu falar disso, desconhece o termo médico e não sabe exatamente do que se trata - e não saber não é demérito algum -, certamente conhece alguém que já passou por isso, ainda tem o problema ou poderá tê-lo no futuro, dependendo da profissão que exerce. Trata-se de um problema físico que muitas pessoas têm e sofrem para se livrar dele. E que precisam de acompanhamento de um profissional especializado.


“Basicamente, é um tipo de dor que temos no punho, que provoca um processo inflamatório. Está relacionada a digitadores de computador e, também, com alterações endócrinas, como hipotireoidismo, diabetes, entre outras, e ocasiona dormência na mão”, explica Alexandre Martins. 
Um dos principais sintomas é que, principalmente durante a noite, a pessoa acorda com dormência na mão afetada. “Então, é uma doença bem comum, principalmente para quem trabalha muito com digitação. Existem exames específicos para o diagnóstico desta doença e tem tratamento fisioterápico, além das medidas de prevenção”.


A diminuição da sensibilidade na ponta dos dedos, com dormência ou formigamento, se espalha pela palma da mão, geralmente associada a fraqueza e dificuldade de pegar objetos.
Em mais da metade das pessoas pode haver acometimento das duas mãos ao mesmo tempo ou em períodos alternados.


O carpo é um canal por onde passa o nervo mediano, que é responsável pelo controle dos dedos, junto aos tendões flexores. “Os processos inflamatórios do punho fazem com que o nervo seja pressionado. O paciente sente muita dor e dormência. E está relacionada, também, à tendinite por repetição de movimentos”.

Deixe seu Comentário