Rádios On-line
TURISMO

Sobre viagem, sobre amor

“Viajar é isso. Experimentar tudo em pessoas, comidas, ruas, compras, museus e lugares, outros mundos.”

10 JAN 2018 - 07h:41Por Redação

Viajar, para mim, nem sempre foi acessível. Mas, eu sempre tive sede de conhecer o que havia além dos pequenos limites da minha cidade, lá no interior de Goiás. Como qualquer menino do interior, você acaba sendo limitado a acreditar que seus sonhos têm certos limites. Apesar disso, assim que coloquei os pés pra fora dos horizontes que possuía, sabia que não voltaria. O primeiro passo foi morar no Rio, onde vivi por um ano e tive trocas incríveis. Na sequência, Brasília foi minha casa e o lugar onde me abri às experiências e às oportunidades que a universidade pôde me dar. Hoje, moro em Portugal e faço intercâmbio em uma pequena cidade do Algarve, uma região ao Sul do país, minha porta de entrada a vários outros roteiros pelo Velho Continente. 

Quem vem à Europa tem alguns símbolos na cabeça: Torre Eiffel, a Monalisa, o Coliseu, Big Ben, os moinhos na Holanda... Obviamente, estou atrás deles, e já dei check em praticamente toda essa lista extensa dos símbolos “super instagramáveis”, que atraem milhões de turistas todos os anos. Já tomei Gelato caminhando pelas piazzas incríveis da Itália; assisti a uma missa com o Papa, no Vaticano; fiz selfie “segurando” a torre de Pisa, conheci a noite regada a reggaetton em Madrid; andei de bondinho em Lisboa e comi o original pastel de Belém; passei pela Champs-Élysées, em Paris; andei de bicicleta na Holanda e me comprometi a cumprir todos os clichês que cada país oferece. 
Apesar disso, acredito que viajar vai além de ir atrás de símbolos e selfies. Viajar tem a ver com as experiências que nos tiram da zona de conforto e levam a uma outra dimensão, onde cada um é capaz de se conhecer melhor. Nós, brasileiros, ainda conhecemos pouco alternativas a hotéis e a pacotes de viagem com tudo pago, e precisamos abrir nossa mente em relação a essas possibilidades! Airbnb, hostels, couchsurfing, bla bla car e companhias low coast são itens indispensáveis de se colocar na bagagem quando se pensa em uma viagem. Se fosse falar de cada um deles aqui iria me estender, mas vale a pena a pesquisa! 


Com o auxílio dessas alternativas, tenho feito viagens incríveis sem gastar todo meu dinheiro em diárias impensáveis de hotéis, restaurantes caros ou viagens em primeira classe de trens. Já peguei carona no bla bla car com um arquiteto que me indicou os melhores pontos de interesse pra quem curte arte e arquitetura; já dividi quarto em hostel com um amigo do Sri Lanka, que me apresentou sua cultura completamente diferente da minha, bem como argentinos, mexicanos, poloneses, franceses, espanhóis e, claro, brasileiros, que sempre fazem as viagens ainda melhores. Viajar é isso. Experimentar tudo em pessoas, comidas, ruas, compras, museus e lugares outros mundos.

Para quem vem ou sonha em vir pra Europa, não hesite! Procure programas de intercâmbio, trabalho, separe aquela grana que, muitas vezes, se gasta com coisas que não acrescentam, e se jogue. Não é impossível! 

Coloque na bagagem muita coragem e disposição para enfrentar línguas que não conhece, para sentir saudade de sabores brasileiros (e como sentimos falta!), e o que é muito importante: não venha de mente fechada. As pessoas por aqui receberam outras influências, outras culturas e não são obrigadas a serem iguais a você. E isso é muito, muito bom! Perceber como o mundo é diverso pode lhe transformar, vai lhe fazer crescer a um outro patamar, e você vai levar pra casa coisas muito maiores que lembrancinhas ou as fotos que você fez.  Leia tudo que puder sobre o lugar de destino: blogs, Youtube, guias, revistas e todas as possibilidades que a era da internet proporciona. Quando chegar no destino, será muito mais confortável saber como se locomover com transporte público, se orientar na cidade, saber o que comer ou onde ir. Quando chegar, não tem problema perguntar! Quase sempre as pessoas estão dispostas a ajudar e a dica dos locais sempre são as melhores. Principalmente quando o assunto é comida, eles sabem onde está aquele botequinho da esquina com a melhor pizza que você vai comer na vida. Vai passar rápido, então aproveite! Acorde cedo, gaste toda sola do sapato se perdendo pelas ruazinhas e pelas grandes avenidas; saia pra jantar, coma coisas que não experimentaria no Brasil e conheça pessoas – elas são o maior presente que você pode ganhar. 


Viajar tem a ver, sim, com roteiros, passagens, compras e toda essa parte material. Mas, é uma experiência! Se permita viver isso! Para viajar, você não precisa de um voo de 10 horas. Você precisa de coragem para pegar um ônibus e atravessar seu Estado, ir de bicicleta na cidade vizinha ou visitar aquele ponto turístico da sua cidade, que sempre esteve ali e você nunca foi visitar. 
Viaje ao conhecer pessoas novas, ao se jogar dentro do mundo de outro alguém e mergulhar em águas diferentes. Viajar tem a ver com o amor, e isso não consigo passar com um texto de coluna pra essa revista. Sobre isso, aconselho de coração que você descubra praticando. ♥

Deixe seu Comentário