Rádios On-line
8502
Prefeitura PROREME 10 a 3011
MEIO AMBIENTE

Agepan, TCE e MPE/MS orientam prefeituras sobre resíduos

4 JUL 2017 - 17h:04Por Redação

Parceria entre o Tribunal de Contas do Estado, Ministério Público de Mato Grosso do Sul e a Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos (Agepan) está ajudando os municípios a cumprirem as obrigações para disposição correta de resíduos sólidos previstas na Lei Federal nº 12.305/2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Em prol da saúde e do meio ambiente, a legislação obriga uma série de providências que passam pelo fim da destinação irregular e instalação de aterros sanitários adequados.

Na região sudoeste, os municípios que compõem o Consórcio Intermunicipal para o Desenvolvimento Integrado da Bacia do Rio Miranda e Apa (CIDEMA) discutem a implantação e operacionalização do aterro sanitário de Jardim, que atenderá, também, os municípios de Bela Vista, Bonito, Caracol, Guia Lopes da Laguna, Nioaque e Porto Murtinho. Prefeitos e vereadores dessas cidades, lideranças locais, e promotores de justiça receberam na última semana uma série de esclarecimentos prestados por integrantes do TCE/MS, MPE/MS e da Agepan, no âmbito do “Projeto Resíduos Sólidos: Disposição Legal”.

A coordenadora da Câmara de Regulação Econômica da Diretoria de Saneamento Básico da Agepan, Nilda Ferreira Ribeiro de Carvalho; o engenheiro ambiental do Tribunal de Contas, Fernando Silva Bernardes e o promotor de justiça do Núcleo Ambiental, Luciano Furtado Loubet; falaram dos estudos de sobre os aterros sanitários de Mato Grosso do Sul; as atribuições legais e responsabilidade ambiental; e regulação e fiscalização do saneamento básico, no qual se enquadram os resíduos sólidos.

“Apresentamos a metodologia de cobrança da Taxa de Resíduos Sólidos Domiciliares – TRSD, desenvolvida em parceria e sob a coordenação do TCE/MS, bem como, o papel da Agepan como regulador e fiscalizador dos serviços de saneamento básico, conforme prevê a Lei Federal nº 11.445/2007, que estabelece as diretrizes nacionais para o Saneamento Básico”, explica Nilda Carvalho.

Durante a reunião do consórcio, no dia 26 de junho foi assinado o aditivo do Termo de Ajustamento de Conduta – TAC, que dita novos prazos para o depósito das contrapartidas dos municípios consorciados na construção do aterro sanitário de Jardim.

(Com informações do Notícias MS)

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13

Ver Todos os Programas da TVC
Dá Negócio
6864