Rádios On-line
INFRAESTRUTURA

Governador discute com governo federal recuperação dos estragos da chuvas

Na reunião também foi abordado a concretização da ferrovia TransAmericana, uma ligação entre os portos dos oceanos Pacífico e Atlântico

21 FEV 2018 - 12h:00Por Redação

Em audiência com o secretário de governo da Presidência da República, Carlos Marun, o governador Reinaldo Azambuja solicitou, nesta terça-feira (20), parceria para recuperação dos estragos causados pelas fortes chuvas do início do ano em Mato Grosso do Sul.

“Nós mostramos a situação das últimas chuvas, que foram torrenciais, causou interdição de BRs, interdição de rodovias estaduais, destruição de pontes. Com certeza, a Defesa Civil está atenta no Estado, fazendo verificação in loco. Falei para o Marun, vamos buscar parceria na reconstrução. Teve lugares com danos grandes em rodovias tanto federais quanto estaduais. E agora precisamos organizar para projetar, como foi feito no final em 2015, que possibilitou a gente estar com quase 100 pontes de concreto já executadas e algumas em execução. Então, vamos melhorar essas rodovias, melhorar esses pontos de alagamento, fluxo de tráfego e contar com a parceria da Defesa Civil federal para a gente avançar nisso”, contou o governador.

Reinaldo Azambuja afirmou que equipes estão fazendo uma avaliação detalhada dos estragos em Mato Grosso do Sul. O governo do Estado declarou situação de emergência em 16 municípios e já está ajudando prefeituras para recuperar rodovias municipais.

Reunião em Brasília teve, entre outros pontos, as pautas das chuvas das últimas 24h no Estado e da Ferrovia TransAmericana.

Ainda na agenda em Brasília, Reinaldo Azambuja solicitou o apoio de Marun para concretizar a Ferrovia TransAmericana, uma ligação entre os portos dos oceanos Pacífico e Atlântico. A TransAmericana irá reduzir a distância a ser percorrida pelos produtos até o mercado asiático em cerca de 20 mil quilômetros.

A principal vantagem é o custo com o transporte. Outra, é a redução do tempo do percurso marítimo, em 20 dias. Os produtos chegariam ao Oceano Pacífico pelo Chile, visando o mercado asiático, em especial a China. Os quatro produtos do Brasil mais importados pela China são: minério, soja, celulose e açúcar – todos eles são produzidos em Mato Grosso do Sul.

O governador Reinaldo Azambuja participou da agenda ao lado do secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel. (Com informações da Subcom)

Deixe seu Comentário