Rádios On-line
11559
CULTURA

MIS exibe na próxima segunda clássico de Glauber Rocha

Filme tem classificação indicativa de 14 anos e a exibição tem entrada franca

23 ABR 2019 - 16h:00Por Redação

O Museu da Imagem e do Som (MIS-MS), em parceria com o Cineclube Marginália, exibe na próxima segunda-feira (29), às 19 horas, o clássico de Glauber Rocha, “O dragão da maldade contra o santo guerreiro”. O filme tem classificação indicativa de 14 anos e a exibição tem entrada franca. O longa-metragem foi lançado em 1969 e traz no elenco Maurício do Valle, Odete Lara, Othon Bastos e Hugo Carvana, entre outros. Trata-se de um drama e faroeste (1h35min) cujo título faz referência à lenda da luta de São Jorge contra um dragão que assolava um vilarejo que visitou.

O enredo traz a continuação de “Deus e o diabo na terra do sol”. Misturando cordel e ópera, esta aventura apresenta o personagem Antônio das Mortes, que recebe a tarefa de eliminar um novo cangaceiro na região. No caminho, ele encontra diversos jagunços e coronéis e se vê cara a cara com o povo do sertão e com as dificuldades enfrentadas pelos sertanejos, eventos que farão Antônio adquirir uma nova perspectiva de vida.

Glauber envolve a narrativa dentro do olhar metalinguístico comum ao cinema novo. A câmera arrastada e a música vibrante nordestina dão quase uma impressão de continuação a Deus e o Diabo. Por muitos é considerado a obra prima do Mestre Glauber, que mistura o ritual antropofágico nordestino, sua “seita” e seu folclore ao encontro apoteótico com uma forma diferente de se fazer cinema, seguindo os parâmetros do cinema novo – já passada a fase experimental da primeira leva de filmes.

Com este filme, Glauber Rocha recebeu o prêmio de melhor diretor no Festival de Cannes. O longa foi eleito como o 34º melhor filme brasileiro de todos os tempos segundo a Abraccine (Associação Brasileira de Críticos de Cinema). É conhecido internacionalmente como “Antônio das Mortes”, nome do protagonista.

O Cineclube Marginália é remanescente do antigo Cinema de Horror, vinculado ao curso de Letras da UFMS. Mudou seu nome para Cineclube Guarani em 2016 e, depois de votação entre seus membros, utiliza a denominação Marginália. Formado por ativistas de movimentos sociais campo-grandenses, artistas e estudantes universitários, o Cineclube Marginália tem por objetivo descentralizar o acesso à arte e à informação e levar sessões gratuitas de filmes e debates ao MIS.

“A gente recebeu o convite para exibir aqui no Museu, achamos importante o Cineclube participar aqui, porque é uma forma de democratização desses filmes, de trazê-los ao público”, diz Marcos Rony, estudante de Artes Visuais da UFMS e um dos colaboradores do projeto.

Depois da exibição, será realizado um bate-papo intimista entre os colaboradores do Marginália. As exibições do Cineclube acontecem mensalmente, sempre na última segunda-feira do mês. A entrada é franca. O MIS fica no 3º andar do Memorial da Cultura, na Avenida Fernando Correa da Costa, 559, Centro. Telefone: (67) 3316-9178.

(Informações Notícias MS)

Deixe seu Comentário

TVC Canal 13