Rádios On-line
NEGOCIAÇÃO

Azambuja vai à Bolívia negociar compra direta de gás natural

Contrato vai garantir participação de termelétrica de Ladário em leilões de energia da Aneel a partir deste ano

4 MAI 2017 - 15h:28Por Redação

O governador Reinaldo Azambuja viaja à Bolívia, onde participa nesta quinta (4) e sexta-feira (5) de rodadas de negociações com vistas à importação de gás natural diretamente por Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Com exceção de MT, os estados integram o Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul (Codesul). As reuniões acontecem em Santa Cruz de la Sierra e Tarija. A Assembleia Legislativa aprovou a autorização para a viagem do governador em missão oficial.

O objetivo é evitar a interrupção do fornecimento de gás ao bloco. A maior parte do trecho Norte do Gasoduto Brasil Bolívia (Gasbol) está em Mato Grosso do Sul. O duto começa em Santa Cruz, na Bolívia, entra na fronteira de Corumbá e corta o Estado até Três Lagoas, seguindo até Campinas (SP). O trecho Sul passa pelo Paraná e Santa Catarina até o Rio Grande do Sul. Para manter o transporte a partir de 2020 será negociado um novo contrato. O governador Reinaldo Azambuja é o interlocutor do bloco nas negociações. Azambuja também negocia a compra direta através de terminal na fronteira de Corumbá, para atender a termelétrica que está sendo construída em Ladário, que obteve em janeiro a licença ambiental prévia para construção. Nesse projeto, a previsão é de importação de 1 milhão a 1,2 milhão de metros cúbicos de gás natural por dia, segundo o diretor presidente da MSGÁS, Rudel Trindade. Todos os dirigentes de empresas de gás e energia dos estados que integram o Codesul devem participar da reunião técnica em Santa Cruz de la Sierra nessa sexta-feira. Reinaldo Azambuja defende a expansão do gasoduto com ramais nos principais centros urbanos. Hoje a distribuição está concentrada, inclusive o Gás Natural Veicular (GNV).

(Com informações do Governo do Estado)

Deixe seu Comentário