Investigação

Corpo de empresário estava há 6 quilômetros do local que caiu em rio

No domingo, no mesmo horário, as buscas continuaram e cada vez mais avançando no rio. Além disso amigos auxiliaram nas buscas com um outro barco

30/08/2017 14:03


No último final de semana Paranaíba (MS) se comoveu com o desaparecimento do empresário e contabilista Diorandes Freitas de Almeida, 68 anos. Ele teria ido pescar às margens do rio Sucuriú, em um rancho na cidade de Inocência (MS) e por volta das 11h de sábado (26) desapareceu quando foi verificar os materiais de pesca que estavam em um tablado às margens do rio. O empresário foi encontrado três dias depois, morto, em uma distância de seis quilômetros de onde ele estava quando caiu na água.

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, o local era de difícil acesso e o corpo estava em meio a galhos de árvores que ficam às margens do rio Sucuriú. Familiares acreditam que Diorandes tenha tido algum mal estar e caiu na água, pelo fato dele ser cardiopata e também ter labirintite, problema de saúde que causa entre outros sintomas tontura e enjoos.

Conforme o bombeiro militar tenente Maxwelbe de Moura Fé, que acompanhou no resgate do corpo, as buscas tiveram início por volta das 5h30 do domingo (23), até por conta do horário e da precisão das informações, e neste dia tiveram término às 18h30.

“Essa ilha é localizada no meio do rio Sucuriú, que é muito correntoso. As buscas tiveram início por terra, e foram encontrados vestígios de que ele teria caído na água, aí então começamos a procurar uma possível vítima de afogamento”, explicou.

No domingo, no mesmo horário, as buscas continuaram e cada vez mais avançando no rio, além disso amigos auxiliaram nas buscas com um outro barco. O corpo foi encontrado por volta das 15h30 em uma área onde havia muitos galhos e de difícil acesso, às margens do rio Sucuriú.

“Só quem pode atestar a causa da morte é um perito, mas o que tudo indica é que um mal súbito tenha o levado a cair na água, e posteriormente o afogamento, mas isso só o IML (Instituto Médico Legal) pode atestar”, frisou.

O tenente destaca que a Bacia Hidrográfica da região de Paranaíba é extensa e vasta, há muitos rios, lagoas e lagos e isso incentiva as pessoas a buscar lazer nestas localidades. “Todo cuidado é pouco, normalmente são locais de difícil acesso, a orientação é sempre usar colete salva- vidas e conhecer as características da localidade”, orientou.

O caso

Diorandes desapareceu na manhã de sábado (26) quando pescava sozinho às margens de uma ilha no rio Sucuriú, no município de Inocência.

O desaparecimento foi relatado pelo cuidador da ilha que teria ido ao local que o empresário deveria estar, e não o encontrou. Porém, todos os equipamentos de pesca estavam no mesmo lugar.


Talita Matsushita