TRANSPORTE ESCOLAR

Novas regras de transporte escolar rural geram revolta em Paranaíba

Famílias afirmam que além de terem suas rotinas drasticamente alteradas na madrugada, há risco de ataques de animais a estudantes nos pontos à beira das estradas

28/01/2018 14:16


Uma alteração e o acréscimo de outros dispositivos no decreto de lei de 7 de janeiro de 2014, que regulamenta o transporte coletivo escolar rural, tem gerado revolta por parte de algumas famílias moradoras dessas áreas em Paranaíba (MS). As novas regras estão em vigor desde 27 de dezembro de 2017.

De acordo com o novo procedimento, os ônibus escolares só poderão buscar ou deixar os alunos na entrada de suas propriedades nos casos em que estes estudantes sejam portadores de algum tipo de deficiência ou a distância ultrapassar 3 km. Fora destes casos, os motoristas estão proibidos de trafegarem fora da linha mestra.

De acordo com o relato de Marcelo Renato, morador da fazenda Nossa Senhora Aparecida, em publicação em uma rede social, a rotina dessas famílias será alterada drasticamente e os maiores prejudicados serão os alunos. “Estou aqui para fazer um comunicado a todos os pais de alunos que moram em fazenda e que os filhos estudam na escola municipal Maria Luiza em Paranaíba. Esse prefeito está de brincadeira. Estamos voltando ao passado, ter que levantar 3 horas da manhã e levar meus filhos na estrada todo dia, e na volta, se não tivermos esperando no ponto, meus filhos de 5 anos e de 9 vão ficar na estrada sozinhos”, publicou.

O internauta ainda ressalta os riscos que essas crianças serão expostas com a nova regra. “E ainda a entrada da fazenda é do lado de um mato que tem onça. Isso é um absurdo. Pagamos impostos pra que? Isso é uma vergonha”, escreveu.

Na postagem, várias pessoas se mostraram surpresas e indignadas com as novas regras e pedem união das famílias das zonas rurais, além de um posicionamento do prefeito Ronaldo Severino de Lima (Ronaldo Miziara-PSDB).


Leonardo Guimarães