passional

Após luta corporal, mulher corre atrás de namorado com faca e é detida por PMs

Agressora negou que estivesse armada e disse que ‘só queria lhe dar uma surra’

16/02/2018 09:04


Após discussão e luta corporal com a namorada de 35 anos, um jovem de 21 anos teve que correr e chamar a Polícia Militar, temendo por sua vida. A mulher foi acusada de perseguir a vítima com uma faca, proferindo ameaças de morte. A briga aconteceu na rua Maria Garcia Moreira, no bairro Jardim Guaporé, por volta das 23h de quinta-feira (16).

Segundo a ocorrência policial, o rapaz contou que chegou na casa da avó e foi abordado pela agressora, que estava escondida no quintal, sob a escuridão. Ela teria partido para cima da vítima, armada com faca. Após a luta, a mulher se muniu com faca e atirou contra ele. Na sequência, a vítima correu para sua residência.

Uma equipe da PM encontrou a agressora no quintal da casa da avó da vítima, mas a faca não foi localizada. Ela teria informado aos policiais que se desentendeu com jovem por motivo fútil e que lutaram, mas negou que teria utilizado a arma branca. Entretanto, admitiu que ‘queria alcançá-lo e lhe dar uma surra com as próprias mãos’.

O casal está junto há cerca de sete meses e residem em casas separadas. Ambos foram encaminhados a Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário. A mulher apresentava escoriação na coxa direita e rapaz, escoriação nos braços e na região do pescoço. O casal alegou que os ferimentos aconteceram durante o Carnaval e que não tinha a ver com o desentendimento registrado pela polícia militar.

A vítima disse que não pretende representar contra a agressora e a ocorrência foi registrada como vias de fato (violência doméstica) e ameaça.

O caso acontece há três dias do homicídio do pintor Gilberto Carvalho da Silva, de 41 anos, morto a facadas, após discussão dentro da casa onde morava há cerca de três meses com uma cabeleireira, no bairro Alto da Boa Vista, zona Oeste de Três Lagoas. A assassina confessa, Danielly Vicente Azambuja, foi presa em flagrante. A vítima chegou a ser socorrida, mas morreu antes de ser levada ao hospital, por soldados do Corpo de Bombeiros e socorristas do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

Em depoimento, a homicida disse que era agredida com frequência por Gilberto.

Durante o registro da ocorrência, vizinhos do casal iniciaram uma tentativa de linchamento da mulher, e a PM fez disparos com bala de borracha para dispersar o grupo que se formou em frente à casa.


André Barbosa