Terra prometida

Internauta resgata cartilha de campanha em que prefeito prometia 'estruturar Santa Casa'

Com salários a receber, por conta de atrasos em repasses, médicos da instituição fazem paralisação parcial e procedimentos cirurgicos são afetados

28/02/2019 06:45


Em meio a atrasos no recebimento de repasses da prefeitura e paralisação parcial de médicos do hospital Santa Casa de Misericórdia de Paranaíba (MS), o internauta, Demolins Machado Rezende, utilizou um aplicativo de mensagens para compartilhar fotos de uma cartilha de campanha do então candidato a prefeito do município, Ronaldo "Miziara" José Severino de Lima (PSDB), afirmando que um de seus compromissos seria, segundo escrito no material, "Reestruturar a Santa Casa com investimentos em profissionais e aquisição de aparelhagem". Para o internauta, o material guardado serve como "prova" de promessas que foram ou não cumpridas.

Segundo Demolins, todo eleitor deveria fazer o mesmo. "Todos nós, eleitores, deveríamos guardar o material de campanha desses políticos, pois quando eles disserem que não prometeram determinada coisa, a gente tem como provar", afirmou. Em sua análise o internauta afirma que as promessas não teriam sido cumpridas pelo antes candidato e agora prefeito. "Aí está uma cartilha que ele soltou. Dá uma olhada aí para você ver que as coisas estão bem diferentes do que ele prometeu. Isso é uma prova limpa e o folheto está aqui em casa", comentou.

Recentemente os médicos da instituição iniciaram uma paralisação parcial dos trabalhos. A mobilização da categoria reivindica o pagamento de salários atrasados. Os atendimentos de urgência estão sendo prioridade no Pronto Socorro do hospital. Procedimentos cirúrgicos também foram afetados pela paralisação. Em entrevista ao JPNEWS, o diretor técnico do hospital, Claudio Souza dos Santos, afirmou que alguns médicos cancelaram cirurgias, enquanto outros optaram por realizar alguns procedimentos eletivos na Santa Casa.

Os atendimentos a pacientes no Pronto Socorro do hospital estão sendo prioritariamente para os casos considerados de urgência, para pacientes que receberem etiqueta de identificação nas cores vermelha ou amarela. Já os pacientes com etiqueta nas cores verde ou azul, que são considerados casos sem urgência, devem aguardar ser atendidos entre uma ou duas horas. Em alguns casos o paciente deverá ser encaminhado a uma Unidade de Saúde do município.

Cláudio afirmou que "não há previsão para quitação da folha de pagamento dos médicos dos próximos meses". Ainda segundo Cláudio, a prefeitura efetuou repasses equivalentes aos meses de novembro e dezembro de 2018

No material de campanha de Miziara "desenterrado" pelo internauta, na página voltada a promessas para a área de saúde, com o título “Saúde é nossa prioridade”, o então candidato se compromete também em “manter abastecida e funcionando a Farmácia Básica com planejamento de compras e fornecimento de medicamentos”, além de “melhorar os processos nos exames laboratoriais, da realização à entrega, garantindo a diminuição do tempo de espera dos resultados.”

Recentemente, o prefeito de Paranaíba se envolveu em uma polêmica após ter sido acusado de agredir um idoso de 61 anos por reclamar de falta de medicamento na Farmácia Básica. João Luiz Gonzaga, também conhecido como “João Franguinho”, junto com o vereador Carlos Renato Garcia “Corujinha” (PR), procurou a redação do JPNEWS - Cultura FM Paranaíba 106,3MHz - e outra emissora de rádio do município para relatar o fato. Procurado, o prefeito não quis comentar o assunto. Após a denúncia, em suas redes sociais, o chefe do Executivo municipal postou uma foto acompanhado do idoso, questionando a notícia e negando o fato sem citar o conteúdo da entrevista de João às emissoras.

Em janeiro de 2019, pacientes que precisavam realizar eletrocardiograma não estavam tendo acesso ao procedimento por conta de um defeito no aparelho. A diarista Roberta Amaro relatou ao JPNEWS que, ao chegar à Unidade Básica de Saúde, Gilka Robalinho - "Postão" -, onde são realizados os exames, foi informada de que "o aparelho estava quebrado e sem previsão de conserto". Procurada pela redação, a secretária de Saúde, Débora Queiroz, afirmou que "temporariamente, os exames seriam transferidos para a Santa Casa do município."

Em outra página, intitulada “Gerar emprego e fortalecer a economia”, o atual prefeito prometia, à época, “Fortalecimento da industrialização e instalação de novas fábricas através de incentivos fiscais”, além de fomento do Distrito Industrial, cursos profissionalizantes e valorização do comércio local.

No tópico “Habitação Digna”, o candidato e hoje prefeito resumiu suas promessas em garantir construção e reforma de casas populares, além de criação de programa especial de habitação para pessoas de baixa renda.


Leonardo Guimarães