Balança comercial

Fábricas de celulose em Três Lagoas faturaram US$ 561,4 milhões

Balanço aponta crescimento de 37% sobre vendas externas de janeiro a março de 2018

19/04/2019 07:02


A força da indústria sul-mato-grossense no bolo de receita com exportações, no Estado, foi comprovada, mais uma vez, com o balanço trimestral do Ministério da Economia, divulgado nesta semana. Os dados mostram que o setor é responsável por 78% de todas as vendas ao exterior e que, no ano, acumula crescimento de 9% sobre o total do mesmo período de 2018. À frente de todos os setores, o grupo papel e celulose lidera com folga. 

No primeiro trimestre, as fábricas do setor em Três Lagoas faturaram  US$ 561,4 milhões (R$ 2,2 bilhões), um aumento de 37% sobre o mesmo período de 2018, e 4 vezes maior que o orçamento total da Prefeitura de Três Lagoas previsto para o ano e metade de toda a arrecadação de taxas e impostos de Campo Grande. 

A maior parte do faturamento das “gigantes” Suzano e Eldorado Brasil veio da China, com US$ 298,7 milhões. Os demais países grandes compradores foram Estados Unidos (US$ 83,6 milhões), Itália (US$ 52,4 milhões), Holanda (US$ 49,4 milhões) e Espanha, com US$ 13 milhões. 

Os dados totais mostram que Três Lagoas é a maior exportadora do Estado, com 56,1% do bolo, e o 21º município do país em faturamento de vendas. Nas importações, é 88º do país e tem 16,2% de participação no volume estadual.

Além de produtos extraídos da madeira, Três Lagoas ainda fatura com a venda de fios sintéticos para tecido (26%), com vendas totais de US$ 27,3 milhões e crescimento de 22,2% sobre o primeiro trimestre do ano passado e fios de cobre, com vendas de US$ 14,7 milhões, de um total de US$ 578 milhões - volume que é 31,7% maior que o apurado entre janeiro e março de 2018. Na contramão, as importações totais caíram 13,7%, para US$ 104 milhões.  

No Estado, a venda de  carnes somou US$ 230,2 milhões, com queda de 8% em relação ao mesmo período do ano passado. A venda de óleo de soja e milho alcançou US$ 46,3 milhões 2% a mais na comparação com o mesmo período de 2018.


Valdecir Cremon