Artigo

Os macacos de Darwin

27/04/2019 09:28


Muita gente repete -não a exemplo dos macacos, mas dos papagaios - que o ser humano descende do macaco. E atribuem isso a Charles Darwin e que estaria escrito em seu livro A Origem Das Espécies. Ora, pois, pois! Não está! Essa foi uma conclusão mal formulada intencionalmente pelos detratores para ridicularizar a Teoria da Evolução.

Em uma rápida pesquisa no livro de Darwin, pode-se achar o vocábulo “macaco” citado dez vezes somente. A primeira quando ele descreve a seleção natural: As três ordens inferiores de mamíferos, isto é, os marsupiais, os desdentados e os roedores, habitam, na América Meridional, a mesma região de numerosas espécies de macacos, e, provavelmente, importam-se muito pouco uns com os outros. Não conduz necessariamente à extinção. 

Depois, falando da doutrina utilitária: Assim, é difícil acreditar que os pés palmados do ganso que habita as regiões elevadas, ou os da fragata, tenham uma utilidade muito especial para estas aves; não podemos acreditar que os ossos similares que se encontram no braço do macaco, na perna anterior do cavalo, na asa do morcego e na palheta da foca tenham utilidade especial para estes animais. Mas os pés palmados foram úteis ao antepassado do ganso terrestre e da fragata. Os diversos ossos que entram na constituição dos membros do macaco, do cavalo e do morcego foram primitivamente desenvolvidos em virtude do princípio da utilidade. 

Por que é que os macacos não adquirem as aptidões intelectuais do homem? Poder-se-iam indicar diversas causas; mas é inútil expô-las, porque são simples conjecturas; além de que, não podemos apreciar a sua probabilidade relativa. Não se poderia esperar resposta determinante à segunda questão, porque ninguém é capaz de resolver este problema bem mais simples.

A extremidade da cauda, em alguns macacos americanos, transforma-se num órgão preênsil de uma perfeição admirável e serve de quinta mão. Um autor que está de acordo em todos os pontos com M. Mivart nota, a respeito desta conformação. 

Pelo contrário, o traspasse do olho inferior do peixe plano para o lado superior da cabeça, e a formação de uma cauda preênsil, em certos macacos, podem ser atribuídos, quase inteiramente, ao uso contínuo e à hereditariedade. Quanto às mamas dos animais superiores, pode conjecturar-se que, primitivamente, as glândulas cutâneas que cobriam a superfície total de um saco marsupial, segregavam um líquido nutritivo, e que pela seleção natural acabam por formar a mama. 


*É cientista.


Mario Eugenio Saturno